Samsung oficializa segundo recall do Galaxy Note7

Por Redação | 13 de Outubro de 2016 às 06h56

O que era especulação há poucos dias foi oficializado nesta quinta-feira (13): o Galaxy Note7 passará por um segundo recall global. A informação foi confirmada pelo CPSC, comissão norte-americana de segurança do consumidor - uma espécie de Inmetro gringo.

Em comunicado oficial, a entidade apontou o motivo para esta segunda onda de trocas dos aparelhos da Samsung: "A bateria de íons de lítio dos smartphones Galaxy Note7 pode superaquecer e pegar fogo, expondo os usuários a riscos de incêndio e queimaduras". Ou seja, é exatamente o mesmo motivo que forçou a fabricante sul-coreana a anunciar o primeiro recall global do gadget há quase um mês, em 15 de setembro.

Trocas com desconto

Os donos dos Galaxy Note7 estão sendo orientados a se dirigirem até lojas de suas operadoras nos Estados Unidos e Coreia do Sul, independentemente de o aparelho possuir o indicador verde da bateria ou não, para trocar o phablet defeituoso por um novo smartphone ou pedir o ressarcimento do valor integral do aparelho.

Numa tentativa de manter sua base de usuários, nos EUA a Samsung está oferecendo um desconto de US$ 100 na troca por um Galaxy S7 Edge ou qualquer outro dispositivo da marca. Caso desista dos aparelhos da marca, os usuários poderão mudar para outra empresa e obter um desconto de US$ 25 na compra de um novo aparelho. A mesma estratégia foi adotada na Coreia do Sul, onde a fabricante vem oferecendo descontos equivalentes a US$ 90, na troca por um aparelho da mesma marca, e US$ 27, na troca por outras marcas.

Em comunicado, a companhia alega que os descontos são uma forma de compensar os clientes pelo "grande inconveniente" causado pelo Note7. Além disso, ela diz que quem quiser ter todo seu dinheiro de volta poderá fazê-lo sem problemas.

Investigações

Toda essa confusão segue a confirmação de descontinuação do Galaxy Note7, cuja trajetória de pouco mais de dois meses no mercado pode ser considerada desastrosa. Mesmo após o primeiro recall, os aparelhos continuaram apresentando problemas e explodindo mundo afora, o que forçou a Samsung a encerrar sua produção em definitivo.

Os motivos por trás de tantos problemas, entretanto, ainda são desconhecidos. Oficialmente, a Samsung disse que deu início a novas investigações para descobrir o que realmente houve com os phablets e que compartilhará novas informações nas próximas semanas.

"Os aparelhos substitutos têm baterias fabricadas por fornecedor diferente dos Note7 originais. Estamos conduzindo uma investigação e é cedo demais para especular sobre seus resultados. Compartilharemos mais informações nas próximas semanas".

Extraoficialmente, a informação que circula nos bastidores da indústria é de que a nova fabricante das baterias cometeu um erro semelhante no processo de manufatura do componente.

Com informações do CPSC, Engadget, Pocket Now e GSM Arena (1) (2)