Samsung é acusada de expor mais de 200 funcionários a toxinas em suas fábricas

Por Redação | 11 de Agosto de 2016 às 07h48

A Samsung Electronics, divisão da sul-coreana que fabrica chipsets, está sendo acusada de expor mais de 200 funcionários de suas fábricas a produtos químicos com níveis elevados de toxicidade. Para piorar a situação, a companhia estaria retendo informações a respeito dos riscos dessa exposição prolongada.

De acordo com a Associated Press (AP), um grupo de segurança do trabalho documentou centenas de casos de doenças graves causadas em ex-funcionários da Samsung que trabalharam na fabricação de semicondutores e de LCD nessas fábricas. Esses funcionários, com idade entre 20 e 30 anos, desenvolveram doenças perigosas e até fatais como leucemia, lúpus, linfoma e esclerose múltipla, e pelo menos 76 deles acabaram vindo à óbito. Além de a companhia não ser clara a respeito dos riscos ao expor pessoas a esses componentes químicos, o governo da Coreia do Sul também não colaborou para com os funcionários uma vez que dificultou a obtenção de indenizações relacionadas a doenças do trabalho.

Uma ex-funcionária de 22 anos teria recebido a oferta de um valor próximo dos US$ 865 mil para se manter em silêncio sobre seu caso pouco antes de morrer de leucemia. Outro ex-empregado, que perdeu sua visão devido a uma esclerose múltipla desenvolvida como consequência da exposição aos tóxicos, disse que “nunca houve uma educação [na fábrica] a respeito de que tipo de químicos poderiam ser prejudiciais para que fôssemos mais cuidadosos”. Outra antiga trabalhadora das fábricas da Samsung, que desenvolveu câncer de mama enquanto trabalhava lá, revelou que a companhia “trouxe jovens desinformados do interior [do país] e agiu como se o dinheiro fosse tudo, usando-os como se eles fossem copos descartáveis”.

Apesar da denúncia estar acontecendo agora, não é de hoje que a Samsung é acusada de ser displicente com relação à segurança e saúde dos funcionários de suas fábricas de componentes. Há dois anos, o mesmo repórter da AP que está denunciando este caso chegou a divulgar que mais de 30 empregados da Samsung na Coréia do Sul registraram processos contra a companhia alegando que as condições de trabalho nas fábricas estavam relacionadas a doenças que os funcionários já estavam apresentando, mas a coisa não foi para frente e “morreu”.

Antes disso, em 2012, uma mulher de 36 anos morreu de câncer de mama após trabalhar por anos na fábrica da Samsung e ter sido exposta a níveis não seguros de radiação, além de também ter tido contato direto com benzeno e demais agentes cancerígenos. Outros casos envolvendo desenvolvimento de anemia e outros tipos de câncer também foram registrados na mesma época, sendo que a justiça sul-coreana chegou a decidir a favor de dois ex-funcionários em 2011 - mas a produção nas fábricas da Samsung continuou sem mudanças.

Via: Apple Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.