Samsung bate recorde de participação no mercado de memórias DRAM

Por Redação | 25 de Novembro de 2016 às 09h55

Durante o terceiro trimestre de 2016, a Samsung conseguiu dominar uma quota recorde no mercado de memórias DRAM. De acordo com os dados da DRAMeXchange, que monitora este segmento, a participação da empresa sul-coreana no mercado global de DRAM subiu para 64,5%, em comparação com 61,5% no trimestre anterior.

As vendas de memória DRAM da Samsung aumentaram em 22,4% em relação ao três meses anteriores, chegando a US$ 2,96 bilhões. Já a SK Hynix, maior concorrente da Samsung no setor, viu seu market share cair de 25,1% no segundo trimestre para 22,8% no Q3 de 2016. Já a participação de mercado da Micron Technology caiu para 10,6%.

No mês passado, a Samsung revelou o primeiro módulo LPDDR4 DRAM de 8 GB voltado para smartphones topo de linha, tablets e notebooks. A novidade não só traz o dobro de memória RAM como também ocupa menos espaço e consome menos energia que o anterior de 4 GB. A manufatura utiliza a litografia de 10 nm, ao invés de 20 nm, e empilha quatro chips de 2 GB para operar a até 4.266 Mbps em arquiteturas de 64-bit - o dobro de velocidade máxima que tínhamos até agora. Na prática, isso significa que começaremos a ver cada vez mais smartphones com 8 GB de memória RAM surgindo por aí.

Mercado global de memória DRAM

Somando os resultados de todas as fabricantes , as vendas globais de memória DRAM aumentaram um total de 16,8% durante o terceiro trimestre deste ano, chegando a US$ 4,59 bilhões.

Para Avril Wu, diretora de pesquisa da DRAMeXchange, os lançamentos do iPhone 7 e Galaxy Note 7 aumentaram a demanda global por este tipo de memória para dispositivos móveis. "Apesar de a Samsung ter interrompido o Galaxy Note 7 no quarto trimestre, o lançamento inicial do dispositivo já contribuiu significativamente para o terceiro trimestre", avaliou Wu.

Uma notícia não tão boa para as empresas envolvidas neste segmento é que na última quarta-feira (23), o Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou várias empresas por cartel de memórias DRAM.

A Elpida Memory, Mitsubishi Electric, Nanya Technology, NEC e Toshiba, além de duas pessoas físicas, terão de pagar multas que, somadas, chegam a R$ 7 milhões. A Samsung se envolveu no caso do Cade por meio de Termos de Compromisso de Cessação, assumindo a responsabilidade de colaborar com a investigação internacional e de cessar a conduta.

Via Digitimes

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.