Rússia quer banir Windows para incentivar mercado local

Por Redação | 11 de Fevereiro de 2016 às 14h10

Uma decisão bastante controversa, mas ao mesmo tempo totalmente esperada, pode acabar entrando em vigor na Rússia pelas mãos do consultor nacional para a internet German Klimenko. Em mais uma onda de declarações polêmicas contra as multinacionais que operam no país, ele disse ter um projeto que bane completamente o uso do Windows pelas empresas na região.

De acordo com o político, essa seria a melhor forma de evitar os problemas de segurança e espionagem que eventualmente atingem a plataforma. Ele também cita as alegações de que a Microsoft estaria coletando telemetria dos usuários do sistema operacional, o que, para ele, poderia resultar em informações confidenciais do governo caindo nas mãos de agentes americanos e de outros países.

Para Klimenko, não existe mais confiança no sistema operacional, e desde já, mais de 22 mil órgãos estaduais e municipais estariam preparados para adotar plataformas baseadas em Linux. Essa seria, inclusive, uma alternativa mais barata, uma vez que a arquitetura de código aberto incorre em menos gastos com licenças, além, claro, de fomentar uma maior utilização de softwares que são desenvolvidos localmente.

O “czar da internet”, como vem sendo chamado, também volta suas armas para outras multinacionais da tecnologia, como Apple e Google. O alvo aqui são as lojas de aplicativos, sobre as quais ele sugere a criação de um imposto de 18% não sobre as vendas de software, algo que acaba sendo repassado aos cidadãos, mas sim sobre o faturamento total oriundo de tais negócios.

A ideia aqui é a mesma que já apareceu em discussões de outros países, inclusive o Brasil – a noção de que, por mais que estejam operando em um território, usando até mesmo a moeda local, os impostos seriam pagos na nação de origem. Klimenko afirma que isso é o equivalente a “criar uma vaca para que eles ordenhem o leite”, e demonstrou apoio inclusive à União Europeia, com alguns de seus países preparando ações judiciais contra o Google justamente devido a supostas manipulações fiscais no mercado internacional.

Como no caso do Windows, Klimenko também acredita que a adoção de um imposto fomenta a indústria local e deve incentivar os usuários a adotarem soluções locais, como o serviço de email Mail.ru e o Yandex, a principal plataforma de busca da Rússia. As propostas já encontraram simpatia no parlamento russo e o consultor de internet foi apontado diretamente pelo presidente Vladimir Putin, o que indica que o líder, também, o apoia.

A Rússia passa hoje pela pior recessão desde o início dos anos 2000, motivada pela baixa no preço do petróleo, em esforços de guerra e sanções econômicas impostas sobre a Ucrânia. Sendo assim, o governo tenta tirar dinheiro de onde pode, e aparentemente, o mercado digital parece ser cada vez mais uma boa fonte de lucros.

Fonte: Bloomberg

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.