Rumor: Google quer ter controle total sobre smartphones da linha Nexus

Por Redação | 02 de Fevereiro de 2016 às 09h22

Quem opta por um dispositivo da família Android certamente concorda que os aparelhos da linha Nexus figuram entre as melhores opções equipadas com o sistema do robô verde. Até então, todos os smartphones da categoria não foram fabricados pelo Google, mas sim por empresas parceiras, como LG, Motorola e Huawei. Só que isso está prestes a mudar, já que um novo rumor indica que a gigante das buscas está considerando ter um controle maior sobre a produção desses gadgets. É o que diz uma reportagem do site The Information.

De acordo com a publicação, Sundar Pichai, presidente do Google, e outros executivos da empresa já iniciaram discussões sobre como a companhia pode ser mais participativa nas linhas de fabricação dos celulares Nexus. A ideia seria igualar os aparelhos ao que o iPhone é atualmente para a Apple, que por sua vez controla todos os processos envolvendo o produto, desde o design até o marketing e a produção.

Outra possibilidade avaliada pelo Google ao obter mais controle sobre os smartphones Nexus é tentar reduzir a fragmentação do sistema operacional. Aqui, a empresa ofereceria um dispositivo high-end e com atualizações constantes, como acontece atualmente, e sem ter que esperar que outras fabricantes adaptem à plataforma para futuros updates. Como o Google ficaria responsável pelo software e hardware dos aparelhos, a liberação desses patches seria ainda mais rápida, permitindo que os usuários forneçam um feedback com mais frequência - assim como acontece com o iOS no iPhone.

Além disso, a decisão da empresa de Mountain View pode estar relacionada à forma como os telefones Nexus são vendidos. A começar pela falta de campanhas promovendo o produto: praticamente todas elas são veiculadas apenas na internet e as fabricantes parceiras (LG, Motorola, entre outras) também não se esforçam muito para alavancar as vendas desses aparelhos, que já são baixas.

Isso sem contar que as mesmas fabricantes não se preocupam tanto em levar os smartphones Nexus o mais rápido possível para outros países fora dos Estados Unidos. No Brasil, por exemplo, o Nexus 6P, lançado no segundo semestre do ano passado, só foi homologado agora pela Anatel e mesmo assim não há uma previsão de quando o dispositivo chegará às lojas - isso se chegar. Em outras situações, alguns modelos sequer foram comercializados em território nacional, como é o caso do Nexus 6, fabricado pela Motorola.

Estratégia necessária

Nexus 6P

Talvez, o que mais pode ter pesado nessa possível decisão do Google em controlar totalmente a linha Nexus é a mudança de foco de sua concorrente, a Apple, que recentemente começou a investir bem mais em serviços online por conta de uma desaceleração nas vendas do iPhone - a primeira em 13 anos. Esse é o setor que mais gera lucros ao Google, então faz todo o sentido a empresa querer ter mais autonomia na fabricação dos Nexus para cobrir essa fatia que pode ser roubada pelos serviços lançados pela Maçã no iPhone.

Claro, isso não quer dizer que o Google deixará de investir em serviços próprios disponíveis na concorrência. Basta tomar como exemplo a notícia de que a companhia pagou à Apple o equivalente a US$ 1 bilhão para continuar sendo o buscador padrão no iOS.

O que podemos concluir é que o Google quer alcançar um nicho que hoje é dominado pelo iPhone, e para alcançar esse objetivo a ideia é competir com o aparelho da empresa de Cupertino ao lançar um smartphone Android com software e hardware totalmente (ou quase isso) fabricados pelo próprio Google. Também é preciso levar em consideração que os dispositivos da família Nexus sempre souberam aliar custo e benefício ao oferecer preços bem competitivos no mercado. O Nexus 6P, fabricado pela Huawei, sai por US$ 499 lá fora.

Em todo o caso, não seria nada surpreendente o Google apostar nessas estratégias futuramente, uma vez que a companhia gosta de correr riscos. Vamos aguardar.

Fonte: Ars Technica via The Information

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.