Riot afasta chefe de operações sob investigação de má conduta

Por Wagner Wakka | 17 de Dezembro de 2018 às 09h52
Divulgação/Riot

Mais um episódio de ambiente de assédio veio à tona na Riot. A empresa afastou seu chefe de operações (COO), Scott Gelb, após receber denúncias de má conduta e assédio no ambiente de trabalho. Gelb ficará afasta por pelo menos dois meses e terá de passar por um “treinamento” para voltar à empresa.

Segundo reportagem do Kotaku, a empresa recebeu várias reclamações de funcionários, alguns dizendo que o COO havia tocado em seus testículos, outros com uma série de aproximações inadequadas.

Um funcionário de 40 anos foi notificado pelo próprio CEO da empresa, Nicolo Laurent, por e-mail. O CEO mostra preocupação sobre a imagem a empresa e o comportamento do funcionário. Segundo o aviso, a decisão foi tomada por um comitê especial sobre o assunto dentro da empresa.

"Como parte de nosso compromisso contínuo com a evolução de nossa cultura, estamos investigando todas as reivindicações através de nosso processo estabelecido", disse a companhia em declaração à ESPN.

"Por esse processo, a assessoria jurídica externa realizou uma investigação das alegações sobre Scott Gelb. Depois de analisar cuidadosamente e considerar as conclusões, o Comitê Especial do Conselho de Administração da Riot determinou que uma licença não remunerada de dois meses, juntamente com treinamento, era a ação apropriada, dadas as alegações que foram fundamentadas", disse a nota.

A Riot já havia passado por um caso semelhante no mês de agosto, quando o Kotaku apresentou casos de assédio e um ambiente de trabalho machista dentro da companhia. Por conta disso, o escritório de advocacia Seyfarth Shaw foi contratado para fazer auditorias internas. O afastamento de Gelb é resultado do trabalho do escritório dentro da empresa.

Fonte: ESPN, Kotaku 

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.