Revista especializada pede fim do piloto automático da Tesla

Por Redação | 18.07.2016 às 19:07
photo_camera Divulgação

Em poucos meses, o modo autônomo dos carros da Tesla foram de uma das principais inovações tecnológicas de nosso tempo para uma grande dor de cabeça. Essa mudança de patamar não chega a ser de fato surpreendente, afinal uma tecnologia que permite aos carros se autoguiarem por aí tem tudo para gerar controversa, mas talvez a velocidade com que isso aconteceu seja o mais supreendente.

Após vários acidentes envolvendo veículos da companhia, com um deles inclusive tirando a vida do motorista de um Model S, a respeitada publicação voltada aos direitos dos consumidores Consumer Reports pediu que a Tesla descontinue o seu sistema de piloto automático. Em um longo editorial divulgado no dia 14 de julho, a revista publicada desde 1936 pede que o modo autônomo seja desativado “até que ele possa ser reprogramado para exigir que o piloto mantenha as suas mãos no volante”.

Além disso, a publicação pede também que a companhia de Elon Musk “pare de se referir ao sistema como 'Piloto Automático', pois isso está causando equívocos e é potencialmente perigoso”.

Problemas com a Justiça?

Na última sexta-feira (15), advogados especializados em casos contra fabricantes de automóveis opinaram que a Tesla pode ser responsabilizada civil e criminalmente pelos acidentes envolvendo os seus veículos no modo autônomo. Apesar de avisar seus clientes que o piloto automático “é um acessório de assistência que requer que o motorista fique com as mãos no volante o tempo todo”, a companhia pode ser condenada caso as vítimas levem seus casos à Justiça.

“No momento em que vi que a Tesla estava chamando o recurso de Piloto Automático, eu imaginei que era uma má jogada”, comentou o advogado Lynn Shumway, “Só pelo nome, você não está dizendo às pessoas que deixem de prestar atenção?”, concluiu.

Fonte: Consumer Reports