Reunião com departamento de trânsito revive rumor sobre carro autônomo da Apple

Por Redação | 18.09.2015 às 16:58 - atualizado em 22.09.2015 às 11:21

Os carros sem motorista podem estar mais perto de se tornarem realidade do que a gente imagina. E, enquanto nenhum projeto sai do papel, a Apple já começa a mexer seus pauzinhos para que isso mude o mais breve possível. Tanto que ela está em negociação com os órgãos responsáveis para acelerar a questão.

Segundo o jornal britânico The Guardian, a empresa esteve em reunião com representantes do Departamento de Veículos Motores do estado da Califórnia exatamente para discutir seus planos de testar os carros sem motoristas em estradas públicas. Como aponta o periódico, seria um sinal mais do que claro de que a Maçã de Cupertino estaria mais do que interessada em entrar nesse novo segmento.

A suposta conversa teria acontecido no mês passado e o conteúdo da conversa não foi revelado, mas o simples fato de vermos essa movimentação já é algo que merece destaque. Não é nenhum segredo que as gigantes da tecnologia estão de olho nesses veículos autônomos e era claro que a Apple não iria ficar de fora. Além dela, Google e Uber já demonstraram interesse semelhante.

A principal dúvida, no entanto, está no que a companhia está planejando. Ela não comentou nenhum dos rumores até agora e nem deu indicativos do que está por vir, o que serve de terreno fértil para a proliferação de rumores. Porém, é bem pouco provável que vejamos um carro sendo fabricado pela Apple, sendo muito possível surgir uma parceria com as montadoras. Porém, a possibilidade existe.

O que chama a atenção nessa reunião feita com o departamento responsável é que ela pode ter sido definitiva para que esses carros deixem de ser apenas projetos e cheguem às ruas. De acordo com a legislação da Califórnia, todos os veículos sem um controle físico ativo ou um monitoramento humano precisam ser registrados antes de serem testados em vias públicas. E essa regra não vale para assistentes de direção e outros aplicativos semelhantes, o que torna essa aproximação bastante suspeita.

Por outro lado, o órgão exige que as empresas liberem várias informações sobre os seus testes, como a quilometragem coberta, o número de interações humanas, total de acidentes e falhas, além de outros pequenos dados. Levando em consideração o histórico da Apple, é estranho imaginar uma predisposição a fazer essas revelações.

Via: The Guardian, CNET