Resultados financeiros da NVIDIA revelam crescimento de 13,4% nas receitas

Por Redação | 13 de Maio de 2016 às 10h18

A NVIDIA anunciou seu relatório financeiro referente ao trimestre fiscal encerrado no último dia 30 de abril, revelando números que superaram as expectativas de Wall Street. A fabricante de chips conseguiu um aumento de 13,4% na receita trimestral, muito por causa da grande demanda por chips utilizados em consoles e computadores pessoais.

Os resultados da norte-americana são um termômetro para a indústria de PCs, visto que a companhia é uma das maiores fabricantes de chips gráficos do mundo. Apesar do mercado de PCs não vir apresentando resultados animadores nos últimos anos, a NVIDIA conseguiu balancear seus negócios aumentando as receitas em várias áreas, incluindo jogos, visualização profissional, data center e no setor automotivo.

"Estamos aproveitando o crescimento em todas as nossas plataformas - jogos, visualização profissional, data centers e automóveis", declarou o CEO Jen-Hsun Huang. "Acelerando o nosso crescimento está o deep learning, um novo modelo de computação que utiliza o enorme poder da unidade de processamento gráfico para aprender algoritmos de inteligência artificial. Essa adoção está varrendo uma indústria após a outra, conduzindo a demanda para nossas GPUs".

A receita da NVIDIA subiu de US$ 1,15 bilhão para US$ 1,31 bilhão, com um resultado líquido de US$ 196 milhões. Isso significa um aumento de US$ 0,33 por ação, contra US$ 0,24 no ano passado. As receitas com jogos saltaram de US$ 587 milhões no ano anterior para US$ 687 milhões neste último trimestre fiscal. Nesse setor, o grande responsável pelo aumento das receitas foram o interesse nos headsets de realidade virtual. Na virtualização profissional, ela recebeu uma receita de US$ 189 milhões, ante US$ 181 milhões do ano anterior. As receitas de data center também subiram, chegando a US$ 143 milhões. No setor automotivo, os ganhos foram de US$ 113 milhões contra US$ 77 milhões no mesmo período de 2015. O único declínio ficou por conta dos setores de componentes originais e propriedade intelectual, que conseguiram uma receita de US$ 173 milhões, abaixo dos US$ 218 milhões do ano anterior.

O analista Patrick Moorhead, da Moor Insights & Strategy, analisou com otimismo os resultados da fabricante de chips e declarou que devemos "ver um crescimento ainda maior nos próximos trimestres". O analista credita o otimismo aos setores de data center e na computação cognitiva e inteligência artificial. Além disso, a empresa deve continuar apresentando ótimos números no setor de games, já que anunciou oficialmente as novas GeForce GTX 1080 e 1070, modelos pioneiros desenvolvidos com a arquitetura Pascal e capazes de suportar jogos em realidade virtual e gráficos 3D.

Via VentureBeat

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.