Recrutador da Uber diz a candidata que "sexismo é sistêmico em tech"

Por Redação | 24 de Março de 2017 às 17h49

(Kamilah Taylor / Foto: Jo Chou)

A Uber está no meio de um escândalo envolvendo as atitudes de seu CEO, Travis Kalanick, que está com dificuldades de manter a liderança após ter sido acusado de assédio sexual e de discutir com um motorista que trabalha para a empresa. E pelo visto, a onda de tretas ainda não parou de crescer.

Durante uma entrevista de emprego com uma candidata, um dos gerentes da Uber defendeu a companhia, alegando que no mundo tech, sexismo existe mesmo, dando um tom de normalidade ao caso. Kamilah Taylor, 30, engenheira de software, estava pleiteando uma vaga de desenvolvimento na companhia no Vale do Silício. Ao The Guardian, ela enviou cópias das mensagens que trocou com a empresa.

Durante as convesas, Taylor desanimou de fazer parte da Uber. "Na luz das práticas duvidosas de negócios da Uber e de todo o sexismo envolvido, perdi meu interesse em fazer parte da equipe", revelou. Após a afirmação, Taylor ficou pasma com a resposta que recebeu do gerente da empresa: "Entendo sua preocupação. Só queria dizer que sexismo é algo sistêmico em tecnologia e em outras indústrias. Conheci gente das mais inspiradoras aqui dentro".

Depois que a jovem publicou o trecho da conversa no Twitter, a situação da Uber, que já estava feia, ficou pior, pois serviu como mais um exemplo de cultura machista, misoginia e discriminação. "Fiquei realmente chocada", revelou, já que acredita que isso pode e deve mudar. Entretanto, ela ainda assim decidiu poupar a imagem do gerente e não revelou seu nome à imprensa, pois não quer transferir a responsabilidade da Uber apenas uma ou duas pessoas.

De acordo com um porta-voz da empresa, a equipe já está ciente do ocorrido. "Estamos investigando, mas essa mensagem não foi aprovada pelo departamento de vagas da Uber". A companhia ainda disse que está trabalhando para melhorar seus serviços de recrutamento, garantindo que seus entrevistadores são treinados em vários setores.

Taylor é co-autora de um livro intitulado Mulheres em Tecnologia (Women in Tech) e revelou que um amigo dela, durante um processo de recrutamento na Uber, também respondeu que perdeu o interesse em trabalhar lá depois que ficou sabendo do escândalo.

Fonte: The Guardian

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.