Quanto custa produzir um Galaxy S8?

Por Redação | 21 de Abril de 2017 às 12h17

Vamos ser sinceros: o Galaxy S8 é um smartphone caro — bem caro, na verdade. No Brasil, o modelo mais simples chegará às lojas custando R$ 3.999, podendo chegar a R$ 4.399 na versão com tela de 6,2 polegadas. Nem mesmo nos Estados Unidos o valor pesa menos no bolso, já que ele está sendo vendido a partir de US$ 720. Mas você tem ideia do quanto custa para a Samsung fabricar o aparelho?

Pois alguém decidiu fazer a conta e colocar na ponta do lápis o custo de todos os componentes que formam o dispositivo para tentar explicar o porquê desse alto valor. E, de acordo com o site IHS Markit, que fez todas as contas, o modelo de 64 GB de armazenamento custa exatamente US$ 301,60 para ser produzido — total que sobe para US$ 307,50 quando levamos em conta todos os custos de mão de obra e demais processos operacionais.

Essa simples soma já ajuda a explicar por que o Galaxy S8 é tão caro: ele custa mais para ser produzido do que o seu antecessor. Apenas para você ter uma ideia, o valor bruto do Galaxy S7 era de US$ 264,16, o que representa um aumento de quase US$ 44. Parece pouco levando em conta o montante final, mas que faz muita diferença quando pensamos em larga escala. Além disso, o novo smartphone consegue ser mais caro do que Galaxy S7 Edge, que trazia uma tecnologia de tela bem avançada. No caso, a diferença entre os dois modelos fica em US$ 36,29. Pelo visto, todas evoluções apresentadas tiveram, literalmente, o seu preço — e a gente sente isso agora no bolso.

Um Galaxy S8 de 64 GB custa US$ 307,50 à Samsung para ser produzido — quase US$ 44 a mais que o S7

As razões para esse custo, porém, não chegam a ser detalhadas, já que a página não discrimina o valor de cada componente. No máximo, afirma que as memórias flash NAND e DRAM, combinadas, custam US$ 41,50 à Samsung. Já o valor da bateria de 3.000 mAh é de apenas US$ 4.50.

Diante de todas essas cifras, surge a principal dúvida: se o Galaxy S8 custa só US$ 307 para ser fabricado, por que ele é vendido pelo dobro desse preço? A resposta, na verdade, se encontra fora da linha de produção da Samsung. A diferença de US$ 412,50 é considerável, mas não injustificada. Além da óbvia margem de lucro que a empresa retira para ela — porcentagem que não é divulgada —, há todos os demais custos que acabam sendo envolvidos no processo. E isso inclui desde o marketing pesado que está sendo construído em torno do aparelho até todo o processo de logística para embalar, transportar e fazer com que o produto chegue às lojas. E não podemos nos esquecer da parcela que vai para os revendedores.

É claro que, no Brasil, há outros valores que acabam entrando na conta, como os vários impostos que são atribuídos, assim como a chamada “gordura” que muitas empresas costumam adicionar.

Via: IHS Markit, Android Authority

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.