Prepare o bolso: vazamento sugere que iPhone passará por reajuste de preço

Por Sérgio Oliveira | 09 de Dezembro de 2016 às 09h24

Todo mundo reclama da Apple e dos preços que a empresa pratica, sobretudo o do iPhone. Nos Estados Unidos o smartphone da Maçã é um dos mais caros que há no mercado, já o Brasil conta com o iPhone mais caro do mundo. É um assunto que desperta raiva em muita gente, principalmente quando vemos que a margem de lucro por unidade vendida é absurda. Mas parece que Cupertino não está se importando muito com isso e está prestes a reajustar o preço do iPhone.

O rumor foi ventilado por duas fontes que tradicionalmente acertam em cheio em suas especulações. O Mac Otakara, que foi o primeiro site a alegar que o iPhone 7 não viria com entrada para fones de ouvido, diz que não haverá nenhuma mudança revolucionária no design dos iPhones 7s e 7s Plus e que os aparelhos seguirão a mesma identidade visual que vemos desde o iPhone 6, lançado em 2014.

A mudança de verdade ocorrerá dentro da carcaça do smartphone, que trará chipsets atualizados e câmeras melhores. E só.

Já o analista Ming-Chi Kuo, considerado por muitos "o melhor do mundo" quando o assunto é a Apple, pondera e diz que haverá, sim, um iPhone 8 e que ele será o topo de linha de 2017. Será este aparelho que trará uma mudança de design, dispensará o botão Home e contará com display OLED e suporte a carregamento sem fios.

E se você está se perguntando o porquê de a Apple fazer isso, a resposta é: estratégia. Lançar iPhones com o design tradicional e um outro "diferenciado" dá uma margem gigantesca de segurança à empresa. Caso veja que o novo modelo, redesenhado, não deu certo, ela poderá descontinuá-lo no ano seguinte e continuar lançando smartphones com o mesmo design de 2014.

O problema é que a chegada de um modelo redesenhado e com novas especificações também significa que Cupertino terá de reajustar os preços dos iPhones. E olha, se eles já eram salgados, agora vão ficar ainda mais.

Melhor economizar

Segundo os rumores, os iPhone 7s e 7s Plus manterão a faixa de preço dos iPhone 7 e 7 Plus nos Estados Unidos e custarão, respectivamente, US$ 650 e US$ 970. O problema de verdade será o iPhone 8. Embora nenhuma das fontes arrisque cravar um preço específico, a Forbes especula que haverá um acréscimo de US$ 150 a US$ 200 no preço do modelo novo em relação às opções de iPhone 7s Plus.

Isso significa, por exemplo, que um iPhone 8 de 256 GB de capacidade chegaria às lojas custando assombrosos US$ 1.200 - um valor que soa bastante proibitivo até mesmo para os padrões norte-americanos, imagine só para o Brasil.

Será que vai ter alguém disposto a pagar tanto por um iPhone assim? O que você acha? Deixe sua opinião nos comentários aqui embaixo.

Via Forbes

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.