Preparando os alunos para o futuro do século XXI

Por Fernando D´Angelo

“O aluno deve ser o melhor que ele pode ser. Nosso papel é encontrar esse potencial e desenvolve-lo ao máximo...e para isso, devemos avaliar não só o conteúdo, mas também as habilidades, competências e dificuldades de cada aluno”. Foi assim que Cristiana Assumpção, Coordenadora de Tecnologia Educacional do Colégio Bandeirantes definiu o papel da escola na desafiadora tarefa de educar seus alunos.

Em pleno século XXI muitas escolas ainda estão calcadas em conceitos ultrapassados onde o bom aluno é aquele que sabe responder a perguntas pré-definidas e o erro sempre gera uma punição. Mas o que encontrei no Band foi um esforço contínuo do corpo docente em transformar a sala de aula em um lugar para descobertas, debates e desafios construtivos.

Os tradicionais laboratórios especializados de física, química e biologia entre outros deram lugar ao STEAM (Science, Technology, Engeneering, Arts and Math), um espaço multidisciplinar que desafia os alunos a encontrarem soluções de problemas através da junção de ciências, tecnologia, engenharia, artes e matemática.

Em salas de aula, apps instalados em iPads são utilizados para a construção e exploração de conceitos, demonstração de experiências e expansão do conteúdo da aula. E enquanto os alunos se aproveitam desta tecnologia para ampliar seus conhecimentos, os professores coletam dados suficientes para entender o perfil de cada um de seus alunos: “...utilizamos os iPads para trabalhar conteúdos em grupo ao mesmo tempo que coletamos informações individuais, nos permitindo fazer um direcionamento pedagógico personalizado a cada aluno”, explicou Emerson Pereira, Diretor de Tecnologia Educacional do Band.

Nesse contexto os professores deixaram de ser os únicos detentores da verdade e da informação e assumiram o papel de curadores do conhecimento, direcionando os alunos nas descobertas e debates, ensinando-os a pesquisarem, questionarem, errarem e evoluírem e, por fim, se tornaram observadores que analisam e avaliam as habilidades, competências, dificuldades e interações sociais dos alunos.

O resultado direto deste trabalho foi o incremento nas notas, o aumento do interesse e participação em sala de aula e uma maior colaboração e compartilhamento de conhecimento entre os alunos.

Eu me arrisco a complementar esses resultados afirmando ainda que o principal resultado deste trabalho é a formação de uma geração de profissionais preparados para contribuir com esse novo momento que estamos vivendo, onde elaborar as perguntas construtivas é mais importante do que saber as respostas e onde errar é um atalho para o acerto.

Como reconhecimento dos excelentes resultados alcançados através da utilização de tecnologia em sala de aula, o Colégio Bandeirantes recebeu o credenciamento da Apple no “Apple Distinguished Schools Program”, se tornando uma das 5 escolas do Brasil participando deste programa.

Parabéns Colégio Bandeirantes pelo pioneirismo e pela visão educacional.