Por causa da tecnologia, 20% dos postos de trabalho serão readaptados até 2020

Por Redação | 28 de Março de 2016 às 20h43

Uma pesquisa recente divulgada pela Avanade revela que a maioria das empresas do mundo já está investindo no uso de tecnologias inteligentes, o que inclui dispositivos conectados, wearables e automação. E que a adoção dessas ferramentas vai obrigar as companhias a readaptar seus postos de trabalho.

O estudo descobriu que o aumento da receita é o grande condutor dessa adoção, já que líderes de negócios e de TI no mundo esperam crescimento de até 33% em seu rendimento com as tecnologias inteligentes até 2020.

"No Brasil, as organizações estão começando a ver os benefícios de adotar tecnologias inteligentes enquanto transformam seu um ambiente de trabalho em digital", diz Hamilton Berteli, vice presidente de expansão de mercado da Avanade Brasil. "No entanto, as empresas não serão as únicas a se beneficiar – indivíduos também poderão se concentrar em tarefas de maior valor, como inovação e solução de desafios críticos dos negócios. Como os resultados da pesquisa da Avanade apontam, colaboração, comunicação e habilidades de resolução de problemas serão demandados para o local de trabalho digital do futuro", explica.

De fato, mais da metade dos entrevistados para a pesquisa disse que sua empresa terá como foco atrair e reter funcionários com mais colaboração e capacidades de pensamento crítico, enquanto 61% afirmou que as habilidades para solucionar problemas serão necessárias no mercado de trabalho do futuro.

A maioria dos executivos e líderes de TI entrevistados (92%) também acredita que será mais fácil para as companhias atrair e reter os melhores talentos enquanto eles aumentam sua confiança em tecnologias inteligentes no ambiente de trabalho. A pesquisa global mostra que, em resposta a essa adoção corporativa, 20% dos postos de trabalho vão ser readaptados até 2020.

"A maneira como trabalhamos hoje é cada vez mais influenciada por tecnologias, que ajudam a criar um contexto inteligente que é adaptado para o papel e as responsabilidades dos de cada indivíduo," diz Berteli. "Simplificando, o contexto inteligente significa que empregados podem acessar as informações e os recursos que eles precisam a qualquer momento e onde quer que estejam, a fim de fazer o seu trabalho de forma mais eficaz".

O surgimento da ética digital

Enquanto os benefícios da adoção da tecnologia inteligente são convincentes, alguns executivos enfrentam questões éticas relacionadas a esse uso. De acordo com o relatório, 78% dos líderes de negócios e de TI acredita que sua organização não deu atenção suficiente aos dilemas éticos do local de trabalho criados devido ao aumento da utilização dessas tecnologias. No entanto, intenções são claras, com um direcionamento de até 10% de seu orçamento para esta área nos próximos cinco anos.

"Só porque algo pode ser feito com o uso de tecnologias digitais não significa que deva ser feito. Cada organização deve estar preparada para continuamente avaliar o quanto máquinas inteligentes e seres humanos podem trabalhar juntos para aumentar a inovação e a produtividade. Para manter a confiança dos funcionários, parceiros e clientes, investimento e foco são necessários para abordar as questões éticas decorrentes do uso de máquinas inteligentes no local de trabalho", conclui Berteli.

A pesquisa da Avanade foi conduzida desde dezembro de 2015 até janeiro de 2016, e entrevistou 500 executivos dos seguintes países: Austrália, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.