PlayStation volta a salvar Sony e smartphones continuam a dar prejuízo

Por Redação | 29.04.2016 às 09:54

A Sony anunciou nesta quinta-feira (28) os resultados financeiros do ano de 2015, com números negativos em seu negócio de sensores de imagem e especialmente na divisão Xperia, mesmo diante dos cortes de custos que levaram a empresa a registrar seu maior lucro operacional em oito anos.

No período, a companhia japonesa viu sua receita cair para US$ 71,7 bilhões, uma baixa de 1,3%. Já o lucro líquido cresceu, registrando US$ 2,7 bilhões, enquanto que o lucro operacional atingiu US$ 2,6 bilhões. De acordo com a empresa, a redução na receita foi causada pela diminuição nas vendas de smartphones, ainda que isso tenha sido compensado pelos bons números do PlayStation 4.

O setor de jogos da empresa obteve um crescimento de 84,3% no lucro operacional, atingindo US$ 785 milhões. As vendas saltaram 11,8% e a expectativa é de melhora diante do lançamento do PlayStation VR e uma provável atualização do PS4. Além dos bons números da divisão de jogos, os desempenhos positivos da Sony Music, Sony Pictures, Sony Electronics e Sony Financial Services também têm ajudado a compensar os resultados frustrantes da área de smartphones e dispositivos móveis.

A divisão Xperia registrou um prejuízo operacional de US$ 544 milhões, um valor 54,7% maior do que a previsão realizada pela empresa. A decisão da companhia de abdicar do lançamento de smartphones premium, com a extinção da linha Xperia Z, parece não ter dado resultado. A empresa apostou em uma nova gama de dispositivos da linha X, que se tratam de aparelhos intermediários com tela Full HD e processador Snapdragon 650. O problema é que, em busca de uma maior lucratividade, a linha Xperia X está sendo comercializada com preços pouco atraentes, já que estão próximos dos modelos topo de linha das concorrentes.

A unidade de sensores, baterias e outros dispositivos também apresentou um prejuízo acentuado de US$ 253 milhões. Nos setores de som e câmeras, a empresa sofreu com a contração geral do mercado, que levou a quedas de 6,4% e 1,7%, respectivamente. A Sony não divulgou nenhuma meta de lucros para este ano, afirmando que necessita realizar uma análise dos danos causados às suas fábricas de semicondutores após os terremotos em Kumamoto.

Fonte: Sony