Siga o @canaltech no instagram

PIB brasileiro pode ganhar US$ 70 bilhões até 2025 com competências digitais

Por Joyce Macedo | 26 de Março de 2019 às 00h05
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Nesta semana, a Google divulgou os resultados de uma pesquisa colaborativa realizada em parceria com a empresa de consultoria McKinsey. O estudo, intitulado Digital Skills Index - Índice de Habilidades Digitais, é inédito e visa compreender o grau de maturidade digital dos brasileiros, destacando temas como competências dominadas e seu impacto econômico no país, bem como oportunidades e iniciativas para um crescimento digital significativo.

O Digital Skills Index mostrou que o brasileiro gosta muito de estar no ambiente digital e os resultados apontam para quatro palavras-chave quando o assunto é uso de internet no país: comunicação, socialização, informação e entretenimento. Para ser ter uma ideia, os brasileiros passam 9 horas por dia conectados.

Dentre as atividades realizadas diariamente no computador ou smartphone, a principal delas é o uso de aplicativos de mensagem, com 83% dos entrevistados dizendo usar a internet para este fim todos os dias. Em segundo lugar, temos as redes sociais (56%).

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A busca por informação e conhecimento também se destaca, com 54% dos brasileiros dizendo usar a internet diariamente para consumir notícias e 53% usando os buscadores. Apenas depois dessas formas de uso da internet encontramos temas como consumo de música (44%), e-mails (41%) e vídeos online (32%).

Para chegar ao resultado apresentado, as empresas entrevistaram 2.477 pessoas com idade entre 15 a 60 anos, das classes A a D, nas cinco regiões do país cobrindo, ao todo, 12 estados e 18 cidades.

O que precisa melhorar?

No entanto, apesar dos bons números da participação dos brasileiros na internet, ainda há espaço para mudanças e melhorias. Atualmente, somos a quarta maior população online, porém ficamos em 20° quando o assunto é penetração da internet no país.

Para dar um vislumbre dos pontos que ainda precisam de atenção, a pesquisa da Google conferiu uma pontuação de zero a cinco para as habilidades digitais do brasileiro em cinco esferas.

Começando pelo Acesso, que visa mensurar o domínio dos internautas sobre o uso de navegadores e outras habilidades básicas, como ligar, configurar e conectar dispositivos em rede, a pontuação foi de 3.5.

Imagem: Reprodução / Internet

Passando para o quesito Uso, que inclui habilidades como realizar transações, ter perfis em redes sociais e capacidade de buscar e encontrar informações de interesse, a nota ficou em 3.4. Quando o estudo aborda a Segurança, entendida como o conjunto de habilidades como o conhecimento de a avaliação da confiabilidade de fontes, interações e informações, além do conhecimento de procedimentos para proteção dos dados, a avaliação segue em 3.4.

No entanto, quando os entrevistados são questionados sobre Cultura Digital, que abrange a atualização constante de softwares e aprendizado contínuo para novas tecnologias, por exemplo, a nota cai para 3.0. Por fim, o mais assustador, é a nota 1.8 para o quesito Criação, que abrange o conhecimento de ferramentas para gerenciamento de publicidade online, promoção de conteúdo, programação, edição de vídeo, SEO, entre outras habilidades.

Oportunidades 

O Índice divulgado pela Google mostra que os desafios no amadurecimento digital da população brasileira está intimamente relacionado ao desenvolvimento social e econômico do país. A pesquisa estima que todas as competências digitais combinadas podem aumentar em até R$ 380 a rende mensal de um trabalhador. Pensando no PIB nacional, este pode ganhar um acréscimo de US$ 70 bilhões até 2025 com o upskilling dos brasileiro.

Atualmente, as mulheres têm 10% menos habilidades digitais relacionadas ao Acesso e Criação na comparação com os homens. Levando em consideração que apenas 10% dos candidatos a emprego em TI são do sexo feminino, é fácil notar que é preciso um incentivo maior para a inclusão das mulheres neste mercado.

Outro dado interessante da pesquisa é que pessoas das classes C/D e E representam 95% dos desempregados no país e, de acordo com os dados da Google, ampliar as competências de Criação podem impactar positivamente na renda já a partir do nível introdutório.

Além de realizar a pesquisa inédita e divulgar seus insights a respeito do resultado, a Google também reforça que está fazendo sua parte para aumentar a inclusão digital e o crescimento da maturidade digital do brasileiro.

Um exemplo é o Cresça com o Google, um programa que oferece gratuitamente ferramentas para que os brasileiros incrementem suas habilidades digitais.Desde 2017, mais de 50 mil pessoas foram beneficiadas com os treinamentos, que são gratuitos e acontecem em diversas cidades do país.

A gigante da tecnologia também alega que, em 2018, mais de 60 mil empresas, publishers e organizações sem fins lucrativos de todo o país se beneficiaram das ferramentas de publicidade do Google, do Google Ads e do Google AdSense. Além disso, R$ 41 bilhões foram gerados em atividade econômica com a sua ajuda.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.