Pesquisadores da IBM criam sistema neural para prevenir convulsões

Por Redação | 07 de Abril de 2016 às 10h13

Stefan Harrer, um pesquisador da IBM, está testando uma nova forma de prevenir convulsões através de um sistema neural. No laboratório da empresa na Austrália, juntamente com neurologistas da Universidade de Melbourne, Harrer está desenvolvendo um sistema de computação que pode analisar as ondas cerebrais de um paciente em um esforço para prever ataques epiléticos. O sistema utiliza uma rede neural, um software que imita neurônios do cérebro humano.

A utilizada na pesquisa é a mesma que realiza reconhecimento de fotos no Facebook e de comandos de voz em aparelhos Android. A equipe de Harrer espera que, ao alimentar o sistema de inteligência artificial com informações de ondas cerebrais, ele possa aprender a reconhecer ataques epilépticos. "Nós estamos tentando extrair toda a informação significativa. Queremos ser capazes de detectar um ataque específico para um determinado paciente", disse Harrer.

A equipe também está utilizando um chip experimental da IBM, chamado de TrueNorth, que é construído à imagem do cérebro humano. A peça é bastante hábil em gestão de redes neurais e também consome pouca energia. Os pesquisadores têm a esperança de utilizá-lo em dispositivos vestíveis, aliados a implantes cerebrais que poderão notificar os pacientes antes que eles tenham alguma convulsão. "Queremos fazer isso em um sistema vestível para que seja possível que o paciente faça uma análise em tempo real", disse Harrer. "Essa é a única maneira que esta tecnologia terá impacto além dos trabalhos de pesquisa."

O trabalho de Herrar é particularmente intrigante porque é difícil para as máquinas preverem automaticamente convulsões em tempo real, em parte porque elas não estão utilizando as tecnologias mais recentes de inteligência artificial. "Ninguém tem realmente aplicado a aprendizagem de máquina para este tipo de tarefa", diz Kimford Meador, neurologista da Universidade Medial Center de Stanford. Segundo Meador, detectar manualmente convulsões antes que elas aconteçam não é uma tarefa tão difícil. Então, se dados neurais de um paciente forem utilizados para alimentar a rede neural, ela poderá detectar por conta própria quando uma determinada pessoa poderá ter uma convulsão.

Usando o TrueNorth, será possível que dispositivos como smartphones notifiquem um usuário sobre alterações em suas ondas cerebrais que levariam à epilepsia. Segundo Robert Freestone, pesquisador da Universidade de Melbourne, isso "pode dar aos pacientes um novo sentido de liberdade e eliminar uma grande quantidade de risco em suas vidas". O dispositivo com o chip da IBM poderia, por exemplo, fornecer aviso suficiente para que uma pessoa possa encostar o carro antes de uma convulsão. A equipe de Harrer reconhece que a tecnologia pode demorar anos para estar pronta, mas a pesquisa já é um grande passo no desenvolvimento de tecnologias que possam ajudar pessoas com problemas cerebrais.

Via Wired

Fonte: http://www.wired.com/2016/04/ibm-wants-implant-fake-brains-real-brains-prevent-seizures/

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.