Para Microsoft, atual geração de consoles pode ser a última

Por Redação | 17.08.2016 às 18:27

No que depender da estratégia de marketing da Microsoft, o Xbox One, ou sua versão incrementada, S, pode representar a última geração de consoles. Pelo menos de acordo com a maneira como o mercado observa essa relação hoje em dia. A partir do Project Scorpio, tudo deve mudar, a ponto de a empresa nem mesmo enxergar o aparelho desta maneira, e mais como uma nova família de dispositivos.

A ideia, afirma Aaron Greenberg, gerente de marketing da marca Xbox, é emprestar um pouco daquilo que faz com que smartphones e PCs tenham tanto sucesso. A ideia, aqui, é reaproveitar acessórios, jogos e outros elementos, bem como a própria comunidade, com um desenvolvimento continuado de soluções, em vez de uma arquitetura que muda completamente após alguns anos.

É uma estratégia que já estaria acontecendo atualmente, mesmo que em menor grau, com o Xbox One. O console tem recebido atualizações periódicas e diversas novas funções de acordo com um feedback constante dos usuários, ampliando suas capacidades e utilidades para o usuário. O Scorpio, então, vem como uma evolução ainda maior disso, permitindo que os desenvolvedores “interajam com o hardware”. Greenberg, entretanto, não entrou em detalhes aqui.

Outra prova desse novo movimento é a afirmação de que todos os acessórios, jogos e experiências do Xbox One estarão disponíveis também no Scorpio, apesar de a recíproca não ser verdadeira. O compromisso da Microsoft, diz o executivo, está totalmente com a compatibilidade de soluções, dando aos clientes a certeza de que nada ficará para trás quando eles decidirem fazer a transição para um novo aparelho da marca.

O executivo admite que a noção pode ser um pouco difícil de se imaginar, uma vez que nem mesmo todas as informações sobre ela estão disponíveis ao público, mas garante que esse cenário vai mudar em breve. Ele categorizou o Project Scorpio como uma das maiores apostas da Microsoft no cenário de games, e diz que a empresa acredita que os fãs e usuários entenderão a proposta e embarcarão nela.

Por outro lado, Greenberg evitou relacionar essa mudança de paradigma à competição com a Sony, com o PS4, atualmente, “ganhando” a guerra desta geração. Apesar de não falar em números, o gerente de marketing disse que as vendas do Xbox One são “saudáveis”, assim como o mercado de consoles como um todo. Entretanto, para a fabricante, é hora de seguir em frente e ampliar de verdade o ecossistema.

Fonte: Engadget