Órgão regulatório obriga a suspensão de serviços da Apple na China

Por Redação | 22 de Abril de 2016 às 19h47

A Apple foi pega de surpresa na China em reunião com a Administração Estatal de Imprensa, Edição, Rádio, Cinema e Televisão. Em decisão para regulamentar os conteúdos da web do país, a Apple teve que interromper dois de seus serviços: iBooks e iTunes Movies, lançados na China há cerca de sete meses.

Apesar da decisão não ser estranha por conta de todo o histórico de restrições do governo chinês à população, a Apple conseguia estabelecer bom relacionamento com o país. A notícia veio de forma inesperada justamente porque a popularidade da marca na China tem crescido consideravelmente nos últimos dois anos, sendo o segundo maior mercado da companhia.

Como não houve qualquer declaração oficial por parte do órgão regulamentador, não se sabe qual foi a motivação do governo ter tomado a decisão, mas a Apple informou que espera que os serviços possam voltar a funcionar o mais rápido possível. Há uma regulamentação no país, de 2008, obrigando as empresas a obterem uma licença para a transmissão de vídeos na internet, mas mesmo assim a Apple havia conseguido adentrar com o iTunes Movies no mercado chinês.

O mais provável é que a decisão tenha sido consequência da visão de Xi Jinping, líder do partido comunista, sobre a importância da China manter soberania diante das companhias estrangeiras. Aparentemente as novas regras proíbem qualquer empresa de outro país de se envolver em publicações online no território, já que Xi Jinping convocou reguladores e executivos da tecnologia para pedir uma regulamentação mais rígida sobre os conteúdos da Internet.

A Apple se recusou a comentar sobre quais são as novas exigências por parte da Administração Estatal de Impressa, Edição, Rádio, Cinema e Televisão, e não deixou claro como pretende reiniciar os serviços no país.

Via: MarketWatch

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.