Oracle deverá pagar US$ 3 bi por danos e prejuízos à HPE

Por Redação | 01 de Julho de 2016 às 13h05

Há cerca de um mês, o processo envolvendo a Hewlett Packard Enterprise (HPE), que cobra uma quantia de US$ 3 bilhões referentes à quebra de contrato da Oracle, ganhou novos capítulos perto de um desfecho. De acordo com a HPE, o processo ocorre devido à falta de suporte ao chip Itanium que acarretou diversos danos e prejuízos para a empresa. A decisão do tribunal da Califórnia foi favorável a HPE, segundo informações do Wall Street Journal divulgadas nesta quinta-feira (30). Sendo assim, a Oracle deverá pagar a quantia pedida pela empresa.

"A decisão da Oracle de parar o desenvolvimento de software na plataforma de servidor Itanium em março de 2011 foi uma clara violação do contrato que causou graves danos à HP e aos nossos clientes", disse John Schultz, vice-presidente executivo da HP Enterprise. Por outro lado, a Oracle negou as irregularidades. O presidente da empresa, Larry Ellison, declarou que a companhia tomou as medidas para o fim do suporte ao Itanium porque a Intel havia decidido não apoiar mais o chip. O argumento foi desmentido pela Intel.

Com o fim do suporte, a HPE alega que teria sofrido um grande impacto nas vendas. De acordo com a companhia, o prejuízo causado até agora totaliza cerca de US$ 1,7 bilhão. Além disso, a empresa acredita que perderá mais de US$ 1,3 bilhão em vendas futuras. O julgamento da questão iniciou em 2011, quando a HP apresentou um processo contra a Oracle em um tribunal em Santa Clara, na Califórnia.

Steve Koenig, analista da Wedbush Securities, que acompanha a Oracle, disse que a quantia paga deve servir para "abrir os olhos" da empresa. A Oracle já retomou o desenvolvimento para o Itanium depois de uma decisão anterior do caso. A companhia prometeu recorrer da decisão do júri.

Via WSJ

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.