ONG que ensina garotas negras a programar recusou oferta da Uber

Por Redação | 25 de Agosto de 2017 às 17h55

A Uber firmou uma parceria de três anos com a ONG Girls Who Code, que ensina programação para garotas, e doará à entidade mais de 1 milhão de dólares. Contudo, outra ONG com proposta similar, mas voltada para crianças negras, recusou a oferta quando foi oferecida.

A companhia de transportes ofereceu US$ 125 mil para a Black Girls Code, e a oferta foi recusada por Kimberly Bryant, fundadora da entidade. “Eu estive aberta por um tempo para o fato de que nós, como uma organização, usamos o Uber como ferramenta. Nós também temos nossa base em Oakland, para onde eles pretendem se mudar. Então eu estive aberta à ideia de que eles poderiam se transformar. Mas seu histórico recente e sua natureza política são problemáticos”, explicou Bryant.

Bryant disse, ainda, que a Uber ofereceu muito pouco dinheiro, e disse que “parece ser muito pouco para realmente abordar mudanças reais em como eles estão se movendo em prol da inclusão e equidade”, concluindo que a oferta “parece ser mais uma tática de relações públicas do que algo realmente focado em mudanças reais, então recusamos”.

A Uber não quis comentar o fato até o momento da redação desta nota.

Fonte: TechCrunch