OMS nega pedido de cientistas para adiar Olimpíadas do Rio por causa do Zika

Por Redação | 28.05.2016 às 14:36

Neste sábado (28), a Organização Mundial da Saúde (OMS) rejeitou o pedido de um grupo de cientistas para adiar ou transferir os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro devido ao surto do vírus Zika. Na avaliação da Organização, uma eventual mudança no calendário da competição não alteraria significativamente a propagação do vírus.

Por meio de uma carta aberta à OMS divulgada ontem (27), mais de 100 cientistas de pelo menos 15 países pediram à organização e ao Comitê Olímpico Internacional (COI) o adiamento do evento esportivo em nome da "saúde pública”, devido à presença do vírus Zika na cidade.

Na carta, os cientistas ressaltam que os Jogos Olímpicos de 1916, 1940 e de 1944 foram cancelados por causa de doenças. A pesquisadora Débora Diniz, da Universidade de Brasília, é a única signatária brasileira da carta, que inclui especialistas de instituições como a Universidade de Oxford, Harvard e Yale, dos Estados Unidos.

Ainda segundo o documento, cerca de 500 mil pessoas do mundo todo vão ser expostas desnecessariamente a um vírus. Além disso, elas ainda corram o risco de levá-lo a seus países de origem, aumentando as chances de tornar a doença endêmica em outras regiões.

Resposta da OMS

"Com base na avaliação atual do vírus Zika circulando em quase 60 países globalmente e em 39 nas Américas, não há nenhuma justificativa de saúde pública para adiar ou cancelar os Jogos. A OMS continuará monitorando a situação e atualizando as recomendações, se necessário", afirmou a entidade, em comunicado.

A organização também ressaltou que está fazendo recomendações ao governo brasileiro e ao Comitê Olímpico sobre como ensinar atletas e turistas e reduzirem os riscos de contraírem o vírus durante sua estadia no país. Entre os conselhos, estão o uso de repelente e roupas que evitem picadas de mosquitos, a escolha de acomodações com ar condicionado, que se evitem locais sem água encanada, entre outros. Para as gestantes, a recomendação é não viajar para locais onde o Zika é endêmico.

O Ministério da Saúde também manifestou sua opinião acerca da carta dos especialistas. “Vale destacar que o período em que serão realizadas as Olimpíadas no Brasil é considerado não endêmico para transmissão de doenças causadas pelo Aedes aegypti, como Zika, dengue e chikungunya.”

Fonte: Agência Brasil