O futuro das movimentações financeiras em quatro tendências

O futuro das movimentações financeiras em quatro tendências

Por Nuno Lopes Alves | 25 de Fevereiro de 2022 às 10h00
Divulgação/Visa

Vivemos uma transformação acelerada do comportamento do consumidor e o crescimento da compra online durante a pandemia — boa parte por quem nunca tinha feito isso antes. No Brasil, 96% das pequenas empresas com presença digital afirmam que se mantiveram nos últimos dois anos graças ao e-commerce. Para a mesma porcentagem de empreendedores de micro e pequenas empresas (MPEs) nacionais, aceitar novas formas de pagamento é fundamental para o negócio, sinalizando que a digitalização não é mais um meio de se reinventar e sobreviver, mas de crescer em um mundo de novas realidades.

Estes dados surgiram na pesquisa global “Visa Back to Business – 2022 SMB Outlook” que revelou também que 97% dos consumidores brasileiros pretendem continuar usando pagamentos digitais tanto quanto, ou até mais, do que em 2021. Na esteira dessa adoção em massa de pagamentos digitais veio a intensificação no processo de digitalização do dinheiro, que está ocorrendo tanto nos mercados emergentes quanto nos desenvolvidos. A maioria das pequenas empresas brasileiras, 58%, disse que já opera ou pretende operar totalmente sem dinheiro em espécie nos próximos dois anos. Os consumidores também chegarão a esse futuro sem dinheiro de papel: 50% afirmaram que pretendem abandonar totalmente as cédulas e moedas neste mesmo período.

Tendências de mercado ganham cada vez mais solidez nesse pano de fundo. Listo abaixo algumas delas:

1. Criptomoedas

As criptomoedas ganharam a atenção de consumidores, investidores e desenvolvedores e sua adoção deve aumentar. Entre os pequenos empresários brasileiros, 32% declararam que têm a intenção de aceitar criptomoedas ainda em 2022, segundo nosso estudo “Visa Back to Business”. Na Visa, estamos trabalhando com 65 plataformas em programas de cartão que facilitam a conversão e o uso de moedas digitais em mais 80 milhões de estabelecimentos. De outubro a dezembro de 2021, nosso volume global com cartões linkados com cripto movimentaram US$ 2,5 bilhões.

Criptomoedas devem ser uma das grandes tendências do futuro das movimentações financeiras (Imagem: Bermix Studio/Unsplash)

2. Inovação nos pagamentos B2B

Muitas das recentes evoluções nos pagamentos se devem a um maior foco na experiência e nas necessidades do B2C (business to consumer). Mas muitos se esquecem do potencial no atual ecossistema B2B (business to business), formado por pessoas e empresas que também buscam mais conveniência, segurança e velocidade. A partir dessa demanda, acreditamos que haverá um aumento na digitalização e inovação nessa área.

Vemos novos sistemas, redes e soluções de pagamento sendo desenvolvidos, especialmente por fintechs se multiplicando. E, conforme os pagamentos em tempo real, a transparência, a rastreabilidade e a experiência geral do consumidor são melhorados e modernizados, evoluções semelhantes na movimentação de fundos entre empresas podem e precisam ocorrer também.

Por aqui, entre outras frentes, temos nos dedicado a contribuir para simplificar, agilizar e garantir a segurança de pagamentos comerciais internacionais. Criamos a plataforma Visa B2B Connect, uma rede inovadora, interoperável e aberta por meio da qual emissores e seus clientes podem enviar e receber pagamentos corporativos internacionais B2B (de empresa a empresa) com rapidez, segurança e baixo custo operacional.

3.  A consolidação do open banking

2022 será um período de aplicação do Open Banking em todas as suas funcionalidades. Até o fim do primeiro semestre, a integração dos dados deve ser sentida na prática.

O sistema financeiro aberto é bom tanto para consumidores quanto para empresas. Por exemplo, por meio de APIs e com o consentimento do cliente, seus dados financeiros sejam compartilhados com terceiros ​​que desenvolvem serviços para facilitar a organização da vida financeira. Com o início efetivo do open banking, o número de produtos focados no uso dessas informações deve crescer significativamente, o que trará ainda mais inovação para o setor.

Para ilustrar, dou o exemplo da Celero, uma ferramenta que potencializada pelo open banking, busca beneficiar substancialmente a vida das pequenas e médias empresas (PMEs) nacionais. Em 2022, a Visa e a Celero passam a oferecer a solução aos emissores, credenciadores e parceiros.

Com o advento do open banking, o usuário desta solução da Celero poderá reunir todas as informações financeiras da sua empresa nesse ambiente, além de contar com inteligência artificial para gerenciar notas fiscais, recibos e boletos. Para os emissores, credenciadores e parceiros, o software gera dados confiáveis, que podem ser usados para ofertar produtos personalizados e facilitar acesso a crédito.

4. Pagamentos por aproximação

O pagamento por aproximação é uma tendência global que deve continuar se popularizando. Dados da Visa Consulting & Analytics, nossa divisão de consultoria, mostram que, no Brasil, o pagamento por aproximação com credenciais Visa cresceu em 700% entre dezembro de 2020 e dezembro de 2021. Essa modalidade de pagamento também representou mais de 25% do total de transações presenciais realizadas com Visa no país em dezembro de 2021.

Em comum, essas quatro tendências colocam o consumidor e empresas no centro da atuação, da energia e das decisões do ecossistema de transferências digitais, projetando um caminho de movimentações mais confiáveis, seguras e simples.

*Artigo produzido por colunista com exclusividade ao Canaltech. O texto pode conter opiniões e análises que não necessariamente refletem a visão do Canaltech sobre o assunto.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.