O Apple Watch mal saiu e já está sendo desmontado

Por Redação | 24 de Abril de 2015 às 12h40
photo_camera Divulgação

Após muita expectativa e espera, o Apple Watch finalmente está entre nós – ou, pelo menos, entre os americanos que conseguiram um lugar na pré-venda do produto e o receberam em suas casas nesta sexta-feira (24). E, claro, o site iFixit já começou o seu tradicional processo de desmontagem do equipamento, que como sempre, é o principal responsável por revelar ao mundo as características técnicas e mais detalhadas dos componentes internos, informações que nem mesmo a própria Maçã divulga oficialmente ao público.

O processo ainda está em andamento, mas desde já, o veículo elogia o smartwatch como um dispositivo muito bem construído e montado. Isso se deve não apenas ao uso inteligente do pequeno espaço interno, mas também da criatividade na aplicação de alguns elementos, como o fio do microfone, por exemplo, que foi enrolado entre as camadas interna e externa do equipamento.

Apple Watch iFixit

A bateria, finalmente, foi confirmada como um modelo de 205 mAh, pelo menos no modelo de Apple Watch obtido pelo iFixit, um Sport do tamanho menor, com 38mm. É esse o componente responsável por uma das principais polêmicas em torno do lançamento do dispositivo, a ideia de que o relógio teria que ser recarregado todas as noites como um telefone celular. A informação procede, mas o veículo acredita que, no modelo com corpo maior, de 42 mm, a célula também possa ser de maior tamanho, dando um pouco mais de autonomia ao gadget.

Mas o grande alvo da desmontagem, claro, é o chip S1, outra novidade do Watch que deve acabar dando as caras também em mais dispositivos da Apple. Durante o processo, o site encontrou o que citou ser “os menores parafusos” que já viram, que apesar de serem do tipo tri wing, não possuem uma ferramenta correspondente no mercado. Isso acabou atrasando tudo, já que os técnicos do veículo tiveram que parar para adaptar as próprias chaves de fenda para que pudessem continuar o trabalho e, finalmente, chegar ao processador.

Apple Watch iFixit

Isso, inclusive, fez com que o iFixit desse uma nota 5 de 10 em “reparabilidade” ao gadget, sendo que quanto mais alta a graduação, mais fácil ele é de ser consertado. Como poréns, foram citadas as dificuldades em remover componentes como os cabos internos, que estão soldados ou colados, além de ser impossível reparar a placa-mãe, ligada diretamente ao processador. Por outro lado, a tela e a bateria são os primeiros dispositivos a serem desmontados, o que pode facilitar a troca das peças que, normalmente, estragam com mais facilidade.

Vale a pena dar uma olhada na galera de imagens do iFixit, que está detalhando todo o processo de desmontagem e, inclusive, compara a parte interna do Apple Watch com a de um velho relógio mecânico.

Fontes: iFixit, Mac Rumours

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.