Nuvem impulsiona lucros da Amazon pelo oitavo trimestre seguido

Por Redação | 28 de Abril de 2017 às 10h44

Os tempos em que a Amazon era citada como uma empresa que não gerava dinheiro ficaram para trás. Em relatório financeiro divulgado nesta quinta-feira (27), a gigante da internet anunciou seu oitavo período consecutivo de lucros, com um faturamento de US$ 35,7 bilhões. Também foi deixada de lado a noção de que seu setor de serviços para a nuvem vinha apresentando retração, uma vez que, no primeiro trimestre de 2017, ele foi o grande responsável pelo resultado positivo.

Entre janeiro e março deste ano, a divisão Amazon Web Services teve crescimento de 43% em relação ao ano passado, com faturamento de US$ 3,7 bilhões. O aumento, claro, não é mais meteórico como acontecia no passado, mas mostra que os investimentos de Jeff Bezos em infraestrutura estão gerando frutos, com mais e mais gente procurando a gigante quando o assunto é cloud computing.

Os resultados também estão todos acima do que era esperado por analistas de mercado, com ganhos por ação de US$ 1,49 no período. Wall Street reagiu com empolgação e os papéis da Amazon chegaram a ter alta de quase 4% após o fechamento do pregão tradicional, um movimento de valorização que deve continuar nesta sexta (28).

Apesar do oitavo trimestre consecutivo de ganhos, Bezos revelou que a empresa continua com a mesma tradição de sempre, preferindo focar-se no fluxo de caixa do que no lucro em si. Isso permite que a Amazon continue seus investimentos não apenas no setor de serviços para a nuvem, como também nas produções originais do serviço Prime Video, outra empreitada vista como extremamente positiva pela companhia.

Os números sobre o grande rival da Netflix não foram divulgados de forma específica, mas fazem parte de uma divisão que a Amazon chama de “serviços de assinatura”. O setor teve alta de 49% entre janeiro e março de 2017, com faturamento de US$ 1,94 bilhões. Além do Prime Video, ele inclui também mensalidades relacionadas a livros digitais ou música, por exemplo.

Mesmo com os números animadores, o mercado continua apontando para um movimento decrescente no setor de cloud computing, uma vez que o crescimento de 43%, apesar de considerável, ainda é menor que os totais de 47%, 55% e 58% registrados nos últimos três trimestres. Longe de ser um motivo de preocupação, como a própria Amazon pondera, mas uma demonstração de que os Web Services estariam se aproximando de seu ponto mais alto.

Para o segundo trimestre de 2017, a empresa espera um faturamento entre US$ 35,2 bilhões e US$ 37,7 bilhões, com crescimento que pode variar entre 16% e 24%. A expectativa está de acordo com a visão de analistas, que preveem receitas na casa dos US$ 36,8 bilhões para a Amazon.

Fonte: Amazon

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.