Novas tecnologias adicionarão US$ 30 trilhões à economia global

Por Redação | 23 de Agosto de 2016 às 09h22

Segundo um estudo realizado pela Mckinsey, as principais inovações tecnológicas poderão acrescentar até US$ 30 trilhões à economia mundial. Somente a internet móvel pode adicionar US$ 11 trilhões, afirma o levantamento. A geração de fluxos econômicos globais deve-se ao efeito da Economia Digital, ou da 4ª Revolução Industrial, que é baseada na mobilidade, na Internet das Coisas e na computação em nuvem.

O estudo apontou que atualmente 48% da população mundial possui acesso à internet e à computação em nuvem, além de existir mais linhas de celulares ativas no mundo do que toda a população do planeta. Outro dado importante revelado pela pesquisa da Mckinsey mostra que a cada dois dias é gerado mais conteúdo e dados do que em todo o intervalo entre o ano de 1100 e 2003.

Com isso, a pesquisa analisa que essa transformação envolvendo a análise de grandes volumes de dados afetará cada vez mais os governos locais, regionais e nacionais, seja no que tange a oferta de serviços ou no aumento da transparência de seus trabalhos pelos cidadãos. O aumento da automação gerada pelo barateamento de equipamentos mais inteligentes e pelo uso da internet das coisas permitirá que diversas indústrias trabalhem com maior eficiência e adotem cada vez mais serviços de gerenciamento autônomo.

O "advanced analytics", citado pela consultoria empresarial, começa a ser explorado por conta da evolução no poder de processamento, levando as instituições e empresas a analisarem uma grande quantidade de dados de maneira cada vez mais rápida e com custos gradualmente menores. O conceito passa a ser ainda mais explorado com a multiplicação de possibilidades geradas por conexões diretas entre máquinas.

De acordo com a Mckinsey, serviços como o Uber e o Airbnb irão aumentar ao longo dos anos, comprovando a profundidade das transformações que as novas tecnologias estão trazendo. O relatório ainda aponta que atualmente a sociedade global vive uma das mais viscerais reorganizações nas relações humanas da história, projetando que as transformações farão do futuro muito diferente do presente.

Via Convergência Digital