Nova moeda virtual vai ter cotação baseada no ouro

Por Redação | 05 de Maio de 2015 às 12h47

Apesar de uma perda de valor recente, o ouro ainda é uma das cotações mais confiáveis do mercado – sem falar de seu tradicionalismo. E são justamente esses dois aspectos que estão apoiando o lançamento do Hayek, uma nova criptomoeda que deve começar a ser negociada no dia 25 de maio e tem sua cotação, justamente, baseada no metal precioso.

A ideia é da Anthem Vault, uma empresa que trabalha, justamente, nesse setor. Focada no uso da tecnologia para compra e venda de outo ou prata, a companhia trabalha tanto com investimentos baixos, de no mínimo US$ 25, até montantes que ultrapassam as dezenas de milhares de dólares, tudo por meio da internet. É justamente essa experiência que motiva, agora, o lançamento da nova moeda virtual, que a empresa acredita ser uma boa para países em desenvolvimento.

A fala do criador, Anthem Blanchard, é bastante ambiciosa. Para ele, a confiabilidade do ouro e a pouca flutuação em sua cotação pode ser uma boa alternativa para nações com problemas econômicos, cuja moeda perde valor a cada dia. Como o dinheiro virtual está menos sujeito a isso e, acima de tudo, se baseia em um dos metais preciosos mais tradicionais, o Hayek seria uma boa alternativa para que as finanças e os investimentos de pessoas e empresas não percam valor e sejam trabalhados de maneira mais confiável.

É por isso mesmo que a empresa desenvolve o Hayek não apenas como uma nova moeda, mas também como uma alternativa. A Anthem oferece o pacote completo, com carteiras virtuais e um depósito seguro de ouro em cofres da própria companhia, segurados contra roubo e desastres naturais. Basicamente, é a mesma infraestrutura oferecida hoje para quem quer investir no metal com a ajuda dela, com a diferença de que, agora, a moeda de troca não é dourada, e sim, virtual.

Esse aspecto também vai permitir que o Hayek comece a operar baseado em outros metais. A prata é uma ideia óbvia, claro, mas Blanchard chega a falar também em operações usando plutônio ou urânio, outros dois elementos bastante valiosos mas que não carregam necessariamente ambições econômicas. Qualquer um que assistiu a “24 Horas” ou “De Volta para o Futuro” sabe que o uso destes materiais é bastante comum na indústria bélica, principalmente em bombas atômicas, ou para geração de energia nuclear.

Mas voltando ao Hayek – cujo nome deriva do economista austríaco Friedrich Hayek –, a ideia é que o mercado virtual seja aberto e descentralizado, como o da Bitcoin, com a diferença de que o valor será fixado externamente. Cada moeda terá o mesmo preço de um grama de ouro de acordo com a cotação do dia, o que permitirá que especialistas prevejam flutuações e consigam estimar melhor as valorizações.

Para a Anthem, no final das contas, trata-se de unir o útil ao agradável – uma tecnologia descentralizada, mas ao mesmo tempo, segura e confiável. Resta saber se a novidade vai vingar, uma vez que o próprio Bitcoin, que já está no mercado há alguns anos, só agora parece estar prestes a se tornar uma boa alternativa para investidores, e passa longe do altíssimo valor que possuía há um ano.

Fonte: Business Insider

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!