Nokia vai realizar novo corte de funcionários

Por Redação | 13 de Maio de 2015 às 12h48
Tudo sobre

Nokia

Esta terça-feira (12) foi um dia de festa para a Nokia, no qual ela comemorou seu aniversário de 150 anos. Menos de 24 horas depois, porém, não existiam mais motivos para festejar, já que a companhia anunciou uma nova rodada de demissões em seu setor de tecnologia, no qual cerca de 70 pessoas, nos escritórios da empresa na Finlândia, devem perder seus empregos.

Como sempre, a rodada de demissões é justificada pela existência de funcionários em posições redundantes dentro de sua estrutura interna, além de mudanças estratégicas que estão sendo realizadas em face dos números negativos que a Nokia vem apresentando. Conversas com os empregados afetados já teriam sido iniciadas, de forma a encontrar a melhor solução para a situação.

O setor de tecnologia da Nokia compreende todo o trabalho de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, além de ser um dos grandes motores de faturamento devido ao registro e venda de patentes para outras empresas. Após a venda do departamento de smartphones para a Microsoft, é esta uma das maiores divisões da empresa finlandesa, com cerca de 650 funcionários ao redor do mundo, sendo cerca de 400 trabalhando apenas no país europeu.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A iminência de uma nova rodada de demissões não havia sido comentada pelo CEO da companhia, Rajeev Suri, durante a revelação dos mais recentes resultados financeiros, na última semana. Na ocasião, o executivo evidenciou apenas o trabalho de reorganização que vem sendo realizado e a potencial compra da Alcatel Lucent, em busca de um melhor posicionamento no setor de telecomunicações.

Outra expectativa para o futuro próximo da Nokia é a venda de seu serviço HERE, que opera aplicativos de mapas e navegação com o mesmo nome. Entre os mais cotados para a aquisição estão Facebook e Uber, que desejam se livrar das amarras de terceiros para trabalhar com soluções do tipo de dentro de seu próprio portfólio. Suri, porém, não entrou em detalhes sobre isso.

Fontes: Yle, Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.