Nokia nega rumores de que vai voltar ao mercado de smartphones

Por Redação | 27.04.2015 às 10:05

Parece que não vai ser agora que a Nokia vai voltar ao mercado de smartphones. Negando rumores publicados na imprensa de tecnologia ao longo da última semana, a empresa finlandesa afirmou que não há, atualmente, planos de desenvolver ou vender telefones celulares com sua própria marca.

Os boatos saíram na imprensa chinesa e tiveram como origem supostas fontes do país. A notícia dizia que a Nokia estaria em estágio avançado de desenvolvimento de um novo aparelho em uma unidade do país asiático, preparando-se para um lançamento ainda neste ano.

Essa possibilidade, caso fosse real, inclusive, colocaria a empresa em problemas judiciais com a Microsoft. Como parte do acordo de venda da divisão de smartphones da Nokia para a fabricante do Windows, está uma cláusula que impede a companhia da Finlândia de voltar a esse setor até 2016, como forma de desassociar as marcas e garantir uma entrada segura da nova fabricante no mercado.

Apesar disso, rumores e até mesmo declarações oficiais sobre esse tipo de assunto têm circulado desde o final de 2013, quando o negócio entre os dois grandes nomes da tecnologia foi anunciado. Entre os boatos, estão a ideia de que a Nokia estaria prestes a investir no Android como sistema operacional para novos telefones, algo que ela já havia feito, inclusive, durante sua parceria com a Microsoft em um aparelho que trazia a plataforma do Google, mas uma “cara” de Windows Phone que acabou não fazendo muito sucesso.

Por outro lado, executivos da companhia já afirmaram oficialmente que poderiam licenciar sua marca para fabricantes menores que queiram contar com esse “selo de qualidade” em sua entrada no mercado. Isso significaria uma cooperação em termos de design e marketing, mas não na fabricação, de forma a não incorrer em possíveis quebras de contrato com a empresa de Redmond.

A mais recente declaração oficial sobre o assunto não entra nesse mérito, o que para muitos entusiastas da Nokia pode ser uma indicação de que a empresa ainda pode estar pensando nisso. Não seria exatamente um aparelho da marca como todos conhecemos, mas, ainda assim, uma sobrevida de um nome que, no passado, era sinônimo de confiabilidade em aparelhos celulares.

A Nokia também ainda não falou nada sobre o lançamento de outros produtos mobile, como tablets, cuja produção não está impedida por nenhum acordo contratual. No ano passado, a empresa se aliou à Foxconn para o lançamento de um dispositivo desse tipo no mercado chinês, mas ganhou pouca tração com a empreitada e não voltou a falar sobre o assunto.

No momento, a Nokia trabalha em sua nova visão divulgada após a conclusão da negociação com a Microsoft e que visa expandir seus negócios no mercado de redes – com uma aquisição recente da Alcatel-Lucent – e aplicativos, com destaque para seu bem-sucedido serviço de mapas HERE. Esse setor, inclusive, pode acabar sendo separado do coração da companhia, uma possibilidade que já atraiu a atenção de nomes como o Facebook e Uber, ambos interessados em operar seu próprio sistema do tipo em vez de se aproveitar de ferramentas de terceiros, como acontece hoje.

Fonte: Reuters