Nokia lança serviço cloud para operadoras de telefonia

Por Redação | 01 de Junho de 2015 às 11h35
photo_camera SRK Times

Não é porque a Nokia vendeu sua divisão de celulares para a Microsoft que ela deseja ficar longe do mundo mobile. A empresa anunciou nesta segunda-feira (01) o AirFrame Data Center Solution, uma novidade que, como o nome já diz, é focada completamente no setor de infraestrutura, mas, nesse caso, aparece otimizada e voltada especificamente para as necessidades do mercado de telecomunicações.

A ideia da plataforma, que deve começar a ser vendida no final do ano, é otimizar servidores e equipamentos de acordo com a demanda das operadoras. Prometendo baixa latência e um grande foco na segurança, a Nokia deseja trabalhar lado a lado com as operadoras na construção de uma arquitetura que se integre perfeitamente aos sistemas em funcionamento hoje na mesma medida em que auxilia as companhias a seguirem em frente para um futuro cada vez mais baseado na nuvem.

É justamente essa proposta de parceria que, na opinião da companhia, a diferencia das concorrentes. Soluções de cloud computing já são uma realidade no mercado, com sistemas do tipo sendo vendidos por diversos players. Nenhuma plataforma, porém, é voltada especificamente para o mercado de telecomunicações e é aqui que a Nokia deseja utilizar seu nome e tradição para ganhar uma vantagem estratégica, trabalhando com velhos e novos clientes que desejem trazer mais versatilidade para seus negócios.

Os servidores do AirFrame são baseados em chips x86 da Intel, rodando OpenStack e VMWare. Em cima disso, estão otimizações feitas pela própria Nokia, além de uma solução de gerenciamento proprietária que permitirá acesso fácil aos sistemas, bem como uma configuração de acordo com as necessidades de cada companhia – o que inclui, também, a integração com os sistemas legados, permitindo que toda a infraestrutura seja gerenciada a partir de um único painel.

Ao mesmo tempo em que pretende entregar uma infraestrutura preparada para o futuro – com amplo suporte à conexão 5G, por exemplo, e técnicas de segurança atuais – a Nokia também trabalha de acordo com as normas regulatórias e de disponibilidade tão presentes no setor. Para isso, mais uma vez, cita a tradição que já possui nesse segmento, com anos e anos de presença na fabricação não apenas de celulares, mas de dispositivos e equipamentos para telecom.

A empresa continua trabalhando nesse setor, com a recente compra da Alcatel Lucent, por exemplo, servindo como um marco para fortalecer sua posição. Mesmo correndo rapidamente em busca de lugares superiores no ranking de maiores empresas do setor, porém, a Nokia sentiu que precisava fazer mais e daí veio a ideia de embarcar também no mundo do cloud computing, algo que o mercado já esperava justamente por representar a nova onda do mundo tecnológico.

Apesar do foco nas empresas de telecomunicações, a empresa finlandesa deixa claro que seu intuito não é atender única e exclusivamente a elas. De acordo com a Nokia, sua estrutura é boa o suficiente para atender a todo tipo de corporação, mas tem como principal diferencial, justamente, a presença junto às operadoras de telefonia.

Mesmo falando desta maneira, a Nokia não informou quando, e se, pretende abrir as portas da novidade para outros segmentos de mercado. Ela até cita que sua infraestrutura está aberta a trabalhar com sistemas SaaS e outras propostas, pelo menos de forma teórica, mas que oferecer soluções fora do mercado de telecom ainda não é o objetivo.

Com tudo isso, a Nokia finaliza o anúncio do AirFrame afirmando se sentir orgulhosa de fornecer soluções que auxiliem o mundo a caminhar mais rapidamente em direção às conexões 5G. Além disso, informa que abriu um centro de pesquisa e desenvolvimento na Finlândia dedicado única e exclusivamente a trabalhar com a solução de cloud computing, garantindo suporte centralizado e atualizações constantes.

Fontes: Nokia, Business Cloud News

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.