Nokia inicia preparativos para voltar ao mercado de smartphones

Por Redação | 10 de Agosto de 2015 às 11h09
photo_camera Nokia

Embora a principal divisão da Nokia, a de celulares, tenha sido vendida para a Microsoft em setembro de 2013 por US$ 7,2 bilhões, a companhia continuou na ativa. Inclusive, a empresa lançou recentemente a câmera Ozo, marcando a entrada da corporação no mercado da tecnologia de realidade virtual. Mas a fabricante não vai abandonar o setor de smartphones, pelo contrário.

Não é de hoje que circulam informações sobre a volta da Nokia à indústria de telefones inteligentes. A própria empresa já admitiu em comunicado interno aos funcionários que planeja apostar novamente nesse mercado. Agora, a agência Reuters revela detalhes de como a entidade está se preparando para tornar essa estratégia em realidade.

Segundo o portal, a companhia está contratando especialistas em software, testando novos produtos e buscando parceiros de vendas para voltar ao mercado de smartphones. Rajeev Suri, presidente da Nokia, já teria dado início aos preparativos, mas estaria considerando colocar os planos em ação só a partir do final de 2016, quando termina o acordo de não concorrência com a Microsoft. É nesse período que finalmente devemos conhecer o que a Nokia está desenvolvendo neste instante.

Ainda não se sabe se os próximos lançamentos da finlandesa no que diz respeito ao setor mobile serão, de fato, aparelhos celulares. Em janeiro deste ano, a empresa lançou na China o tablet N1, o que significa que as apostas podem ser para um ou outro dispositivo - ou ambos. Além disso, para evitar novos riscos, a Nokia está em busca de parceiros para licenciar novos aparelhos. Na prática, isso quer dizer que outras fabricantes poderiam criar e vender seus dispositivos com a marca Nokia em troca de royalties.

Com base no que a Nokia lançou nos últimos meses, o que muitos especialistas têm especulado é que, agora que está desvinculada quase por completo da Microsoft, a companhia vai substituir o Windows Phone pelo Android como sistema operacional em seus futuros aparelhos. E não faltam indícios de que isso vai mesmo acontecer: há algum tempo, a empresa lançou o aplicativo Z Launcher, que organiza os conteúdos exibidos na tela inicial de smartphones equipados com a plataforma móvel do Google. O próprio tablet N1 tem em sua arquitetura o software do robô verde.

Como o Android é o sistema móvel mais usado no mundo, a Nokia pode se beneficiar dessa popularidade e investir tecnologias que ela mesma tem em mãos. Isso porque a companhia possui um dos maiores portfólios de propriedade intelectual da indústria mobile, incluindo cerca de 600 patentes que manteve mesmo após vender sua principal divisão à gigante de Redmond. Essas patentes envolvem projetos como telefones, vídeo digital e saúde.

De acordo com a Nokia, a companhia não quer repetir os erros do passado e perder as últimas tendências do mercado de tecnologia, evitando ser esquecida frente ao crescimento de rivais como Apple, Samsung e a própria Microsoft. Levantamentos recentes apontam que a Nokia, que já figurou em 2009 entre as cinco maiores marcas do mundo, pode ser uma das companhias que devem desaparecer nos próximos anos.

É esperar para ver.

Fonte: Reuters

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.