Netflix testa codecs para diminuir consumo de banda dos usuários

Por Redação | 05 de Dezembro de 2016 às 12h14

O Netflix já mostrou estar preocupado com o consumo de dados dos seus usuários quando recentemente anunciou a implementação do recurso de visualização offline de conteúdos. Agora, parece que os esforços podem ir mais além, chegando inclusive na parte da codificação de seus vídeos.

Para os conteúdos que são baixados pelos usuários, o serviço está trocando o codec H.264/AVC, usado exclusivamente no streaming, por uma outra variação deste formato que usa codificação VP9, um padrão aberto desenvolvido pelo Google e que é usado no YouTube. Ele é capaz de usar a mesma qualidade de vídeo com menos consumo de dados.

Entretanto, as mudanças do Netflix vão além dos codecs e também se estende à estruturação de seus vídeos. Em vez de armazenar blocos inteiros de dados para cada video, a empresa está experimentando quebrar seus filmes e episódios de séries em diversos mini arquivos de três a cinco minutos, uma medida para otimizar ainda mais a compressão dos videos.

A razão para isso? Os engenheiros de dados do serviço explicam que diferentes cenas dentro de um filme exigem necessidades diferentes de compressão. Por exemplo, uma cena de ação, tiroteio e explosões em um filme, exige uma compressão muito mais pesada do que uma cena calma com imagens de um céu azul. Outro exemplo: um filme em live action é bem mais pesado de codificar do que um desenho animado.

A partir desta premissa, o plano da Netflix é quebrar todos os seus filmes em arquivos menores, e usar seus sistemas de inteligência para analisar a complexidade de cada cena e empregar a compressão adequada.

Com esta mudança no armazenamento e estrutura de dados, o serviço de streaming pretende melhorar a qualidade de entrega em conexões de menor velocidade - incluem-se aí as conexões móveis, um dos mercados que a empresa pretende crescer com as recentes medidas.

Além disso, a mudança resulta em arquivos menores para quem baixa os vídeos para seu dispositivo, possibilitando videos com a melhor qualidade possível, sem sobrecarregar o armazenamento do smartphone ou tablet do usuário.

Fonte: Variety

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.