NASA desenvolve material que se autorregenera em menos de um segundo

Por Redação | 11 de Setembro de 2015 às 14h00

A NASA, agência espacial dos Estados Unidos, vem trabalhando já há algum tempo na pesquisa de materiais que se autorregeneram. A mais recente novidade do setor vem direto do Centro de Pesquisa de Langley, onde cientistas da agência estão testando um material capaz de se curar sozinho em menos de um segundo.

De acordo com o TechCrunch, a pesquisa é levada em conjunto pela NASA e por um estudante associado da Universidade de Michigan. Segundo a agência, a autocura funciona como a regeneração da pele após uma ferida, porém é um processo muito mais rápido do que o natural em um tecido humano.

A ideia é que o material seja capaz de se restaurar sozinho após ser atingido por balas ou mesmo por detritos espaciais — servindo como revestimento para espaçonaves e aeronaves. Ele é composto de polímeros orgânicos que respondem de maneira imediata sempre que algo o atinge. E, de fato, vale reiterar: a recuperação termina em menos de um segundo.

Do líquido ao sólido

Os testes que vêm sendo realizados pela NASA envolvem, justamente, a realização de disparos de armas de fogo contra uma superfície composta por este material. Ele nada mais é do que um líquido especial revestido por material sólido. Quando o revestimento é perfurado, o líquido vaza e solidifica ao entrar em contato com oxigênio.

Além disso, após ser atingido, todo o composto permanece intacto. Isso acontece graças ao polímero, que responde ao calor e age rapidamente para reparar o dano em menos de um segundo. Logicamente que danos de maiores proporções devem consumir mais tempo, porém, vale lembrar que o produto ainda está em fase de testes.

Aplicações diversas

É comum que pesquisas espaciais e militares venham, um dia, servir a humanidade de maneira útil e prática em seu dia a dia. A NASA aposta que sua recente descoberta pode seguir o mesmo caminho, com materiais que se autorregeneram sendo aplicados no cotidiano de seres humanos comuns.

Talvez um dia vejamos materiais como estes aplicados em latarias de veículos, pneus e outros equipamentos em que a autorregeneração possa ser aplicada. Contudo, a agência espacial estadunidense reconhece que as pesquisas ainda estão em fases iniciais e há muito o que fazer para aprimorar o funcionamento desta nova tecnologia.

Fonte: TechCrunch

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.