Motorola vai assumir divisão mobile da Lenovo

Por Redação | 26.08.2015 às 12:48
photo_camera BRUNO HYPOLITO / CANALTECH

Em mais um passo de seu processo de reorganização em busca de novos negócios, a Lenovo anunciou que vai acabar com sua divisão mobile, incorporando-a permanentemente à Motorola, que também é de sua propriedade. A ideia é simples: a marca é muito mais tradicional e reconhecida no mercado, e sendo assim, parece ser uma boa estratégia de negócios trabalhar apenas com ela.

A partir de agora, a Lenovo vai começar a enxugar sua linha de lançamentos, focando nos produtos que já são reconhecidos pelo público. Todos, então, passam a operar sob a marca da Motorola, bem como os esforços de pesquisa e desenvolvimento, que serão focados no trabalho que já vinha sendo realizado pela marca.

Apesar das mudanças, nem todos os aparelhos passarão a ser comercializados sob a marca Moto. Apesar de estar escondendo seu nome em prol de um maior reconhecimento, a Lenovo pretende manter algumas de suas linhas existentes, como é o caso da ZUK, por exemplo, voltada para aparelhos de alta performance e configurações robustas, que vem tendo bons resultados tanto nos mercados asiáticos quanto nas prateleiras internacionais.

Ainda, não existirão cortes de funcionários nem de posições executivas. Segundo a Lenovo, toda a estrutura atual de sua divisão móvel será incorporada à já existente na Motorola, e todos passarão a operar de forma um pouco mais independente, mas ainda ligados intimamente às estratégias da companhia chinesa.

O movimento representa mais um capítulo no processo da reestruturação da Lenovo, que vem trabalhando cada vez mais para expandir seus negócios além do mercado de PCs, que há alguns anos já mostra sinais de saturação e queda nas vendas. A compra da Motorola, realizada há quase um ano, vem em um momento oportuno para isso, já que o declínio no sucesso dos computadores acompanha exatamente uma substituição das máquinas por smartphones e tablets.

Os números mais recentes divulgados pela empresa chinesa também seriam responsáveis pela mudança. No primeiro trimestre de 2015, a Lenovo teve queda nos envios de smartphones para o mercado, mostrando uma demanda menor por seus produtos no mercado internacional, resultando em perdas de US$ 292 milhões. Com a mudança de marca, agora, a companhia deseja melhorar tais resultados e se tornar uma das grandes fabricantes de smartphones do mundo.

Fonte: Phone Arena