Motorola investe R$ 40 milhões em centro de pesquisa e inovação no Brasil

Por Redação | 23.06.2015 às 16:07

Mesmo com o país em crise, várias empresas de tecnologia continuam apostando pesado no Brasil. Uma delas é a Motorola, que anunciou nesta terça-feira (23) a criação de dois centros de pesquisa e inovação, um deles com investimento de R$ 40 milhões. Além disso, a companhia com sede nos Estados Unidos reforçou o compromisso em aumentar sua força de trabalho em território nacional.

Um dos destaques é a instalação de um laboratório de pesquisa, simulações e testes no Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco. De acordo com José Soares, diretor de Desenvolvimento de Produtos da entidade, o local vai protagonizar o desenvolvimento e validação dos telefones, especialmente para as redes 4G, cenário hoje dominado pelos norte-americanos. Vale lembrar que a equipe brasileira já cria soluções de simulação de chamadas em redes 4G e seleção automática do chip para ligações em aparelhos Dual-SIM do novo Moto E no Brasil e na Índia.

Outra novidade é a criação de um laboratório de última geração para pesquisa, desenvolvimento e otimização de soluções de processamento de imagens de seus produtos. A inicativa é consequência direta da importância que fotografia e vídeo ganharam nas redes sociais, alavancados pela comunicação móvel.

"A Motorola continuará inovando e desenvolvendo novas experiências que melhorem a relação do usuário com o smartphone. A área de P&D cumpre um papel de extrema importância nesse processo", explica Soares.

A Motorola também anunciou a a criação de parcerias com institutos e universidades em diversos Estados. Entre eles, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Centro de Inovação Tecnológica em Campinas (Venturus), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), Flextronics Instituto de Tecnologia (FIT) e CI&T Software. Eles se somam aos parceiros tradicionais como Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R.), Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (CIn) e Instituto de Pesquisas Eldorado.

Para garantir a expansão, a companhia conta com mais de 200 novos colaboradores, entre engenheiros de hardware, software, sistemas e designers, que estão baseados no escritório de Jaguariúna, de São Paulo e nos institutos parceiros. Essa equipe trabalha hoje em mais de 30 projetos, incluindo novas áreas de atuação, como software embarcado, processamento de imagem, Big Data, computação em nuvem, tecnologia e serviços 4G, design, pesquisa e experiência do usuário.

Há quase 20 anos, a organização de Pesquisa e Desenvolvimento local vem desenvolvendo inúmeros projetos na área de hardware e software. Com o crescimento das operações da companhia no mercado brasileiro, a área de P&D também aumentou de forma significativa desde o segundo semestre do ano passado: dobrou seu quadro de colaboradores no País, duplicou as parcerias com instituições e universidades, assim como o número de projetos.

Responsável pela integração e gerenciamento de software de produtos, bem como pelo desenvolvimento e união de todas as funcionalidades, o P&D da Motorola no Brasil também passou a ter um escopo global, contemplando projetos para os mercados da América do Norte, Europa e Ásia.

Não é nenhuma surpresa notar os investimentos da Motorola no país. Atualmente, o Brasil é o segundo maior mercado da empresa no mundo, ficando atrás apenas dos EUA e à frente da Índia. Nos últimos dois anos, o Moto G se consolidou como o smartphone mais vendido entre os brasileiros, e colocou a empresa na segunda posição do ranking de maiores fabricantes do país em 2014, atrás da Samsung e à frente da LG.