Motorista do Uber é preso acusado de estuprar passageiras em Goiânia

Por Redação | 31 de Janeiro de 2017 às 14h07

Na última segunda-feira (30), a Polícia Civil apresentou um motorista do Uber que foi preso sob suspeita de estuprar duas passageira em Goiânia. De acordo com relatos, as corridas eram combinadas fora do aplicativo.

Alexandre Rodrigues de Sousa, de 41 anos, é acusado de abordar vítimas na saída de festas e show dizendo que era motorista do Uber, mas que poderia oferecer corridas por um preço fechado acordado entre as partes. Ele usava uma arma de choque disfarçada de lanterna para ameaçar e imobilizar suas vítimas.

O carro utilizado para cometer os crimes era alugado para, segundo o acusado, exercer a profissão de motorista do aplicativo. Em sua defesa, o Uber ressalta que os crimes pelos quais Alexandre é acusado não foram cometidos durante o uso da plataforma, mas mesmo assim está colaborando com a polícia nas investigações. O motorista, que estava cadastrado no Uber há cerca de um ano, já foi banido do app.

Por enquanto, três casos de abuso estão relacionados ao acusado. O primeiro aconteceu no início de novembro, quando uma jovem de 20 anos foi abordada pelo suspeito na saída de um show em Goiânia. "Ele chegou falando que era Uber, eles combinaram um preço e ela entrou no carro. Quando eles chegaram ao setor Crimeia Leste, ele parou o carro, deu choques na virilha e nuca da jovem e a estuprou dentro do carro. Depois ele a abandono na rua e fugiu", contou a delegada Ana Elisa Gomes.

Alexandre Rodrigues de Sousa foi preso em Goiânia (Foto: Vitor Santana/G1)

No segundo caso, que também aconteceu em novembro, ele não conseguiu atacar a vítima, que saiu correndo do veículo assim que ele sacou a arma de choque. No entanto, a jovem de 22 anos teve sua bolsa e celular roubados pelo motorista. Já em dezembro, outra vítima foi abordada na saída de uma balada e, após negociar o preço e rejeitar o registro da corrida no Uber, foi estuprada e teve seus pertences roubados.

O motorista foi indiciado por estupro e roubo, mas a polícia ainda está em busca de outras possíveis vítimas do motorista.

Fonte: G1