Microsoft tenta acordo com órgão francês sobre proteção de dados no Windows 10

Por Redação | 21 de Julho de 2016 às 09h09

Nesta quarta-feira (20), a Microsoft recebeu um comunicado formal da Comissão Nacional de Proteção de Dados da França (CNIL). Na notificação, a autoridade manifestou preocupação sobre a quantidade de dados pessoais dos usuários que são colhidos no Windows 10, principalmente porque, para o órgão, há falhas de privacidade. Ainda segundo o documento, a gigante da tecnologia terá apenas três meses para resolver os problemas, caso contrário terá de enfrentar sanções formais.

Como resposta ao pedido da Comissão, a Microsoft garantiu que investe intensamente no que se refere a proteção e privacidade de seus usuários e lançará uma declaração atualizada no próximo mês. Disse ainda que trabalhará em estreita colaboração com a CNIL ao longo dos próximos meses para compreender as preocupações da agência, visando encontrar caminhos para soluções que estejam de acordo com as expectativas do órgão.

Entre as queixas das autoridades francesas estão a coleta de informações sobre aplicativos baixados no sistema; falhas na proteção de dados, já que as contas dos usuários podem ser acessadas apenas com um PIN de quatro dígitos, o que coloca meios de pagamento registrados em risco; tentativas ilimitadas para desbloquear contas do Windows 10, o que, segundo a comissão, pode facilitar o acesso por parte de pessoas mal-intencionadas; e o uso de cookies de publicidade sem que o usuário tenha autorizado.

Para resolver o problema, a gigante da tecnologia deve entrar em acordo com as leis francesas até o dia 30 de setembro, caso contrário estará sujeita a pagar uma multa de, aproximadamente, US$ 1,66 milhão pela falta de segurança de seu PIN, fora os valores relacionados às outras queixas.

Fonte: WinBeta

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.