Microsoft tem lucro acima do esperado, apesar de queda nos smartphones

Por Redação | 29.01.2016 às 09:32

Nesta quinta-feira (28), a Microsoft anunciou seus resultados financeiros do segundo trimestre fiscal de 2016 e deixou claro que a empresa segue apostando onde mais lhe garante rendimentos. Redmond registrou uma receita de US$ 23,8 bilhões no período, mas o lucro operacional de US$ 6 bilhões representa uma queda de 23% em relação ao mesmo período do ano passado.

O lucro líquido no período também ficou abaixo dos resultados do último ano. Com o registro de US$ 5 bilhões em lucro líquido, a queda foi de 15%. Apesar disso, o montante ficou acima da projeção dos analistas e as ações da Microsoft registraram alta superior a 5% nas negociações após o encerramento das bolsas de Wall Street.

Neste período, a Casa do Windows concentrou-se no segmento de serviços na nuvem, mercado que está em franca ascensão. A companhia informou que as receitas oriundas do setor tiveram um crescimento trimestral de 5%, saltando para US$ 6,34 bilhões. O Azure, especificamente, teve um crescimento expressivo de 140% nas receitas. É importante considerar que essa é uma fatia importante da receita total da empresa conseguida no período. "Negócios em todas as partes do mundo estão utilizando a Microsoft na nuvem como sua plataforma digital para impulsionar suas ambiciosas agendas de transformação", declarou em comunicado o CEO da companhia, Satya Nadella.

O principal negócio da Microsoft, que é o seu segmento de softwares para computadores, teve uma queda de 2% no segundo trimestre fiscal de 2016. As receitas ligadas ao Windows, principal produto da empresa, tiveram uma queda de 6%. Os motivos para a redução, conforme informado pela própria corporação, foi o fortalecimento do dólar e o enfraquecimento do mercado de PCs no mundo. O destaque ficou por conta do Surface, que teve um salto de 29% nas receitas em comparação com o mesmo período do ano passado, chegando a US$ 1,35 bilhão. No entanto, a queda mais acentuada foi no segmento de smartphones. O recuo sofrido no período foi de assustadores 49%, vendendo 4,5 milhões de dispositivos, praticamente a metade do que havia vendido há um ano.

Já as receitas com as vendas do Xbox também diminuíram, mas não é uma constatação encarada como negativa pela Microsoft. O Xbox 360 vendeu menos unidades do que no mesmo período anterior, algo normal levando em consideração que o console já está no final da vida. As receitas com jogos subiram 5%, praticamente compensando a redução das receitas de hardware do console. A Xbox Live conta atualmente com 48 milhões de usuários, um crescimento de 30% comparado ao ano anterior.

Via ArsTechnica

Fonte: http://arstechnica.com/business/2016/01/cloud-surface-are-the-highlights-of-microsofts-23-8-billion-quarter/