Microsoft segue os passos da Netflix e amplia licença maternidade e paternidade

Por Redação | 06 de Agosto de 2015 às 15h53

A Netflix anunciou no início desta semana que ampliou a sua licença maternidade e paternidade para os seus funcionários. Seguindo o mesmo exemplo, mas não tão generosos, a Microsoft também aderiu ao plano e, a partir do dia primeiro de novembro, a companhia pagará 100% do salário durante as 12 semanas de afastamento dedicadas aos cuidados do recém-nascido.

De acordo com a vice-presidente da Microsoft e encarregada dos recursos humanos, Kathleen Hogan, a empresa já concedia aos seus colaboradores as 12 semanas de afastamento, porém somente as primeiras eram remuneradas. As mães ainda recebem um adicional de oito semanas de licença maternidade, também com 100% de remuneração. Além disso, as mães ainda podem optar por deixar o trabalho duas semanas antes da data prevista para o nascimento, para "gerenciar o impacto físico que vem com o final da gravidez".

Hogan ainda disse no comunicado que a empresa possui um alto padrão de funcionários e, por isso, deve oferecer benefícios em troca. "Nós acreditamos que é a nossa responsabilidade criar um ambiente onde as pessoas possam fazer o seu melhor trabalho. Essas mudanças são em apoio ao direito da cultura em que aspiramos em ter. Uma que permite que as pessoas construam carreiras significativas", afirma. Atualmente a Microsoft conta com 60 mil funcionários nos Estados Unidos.

Mas a extensão da licença maternidade não é novidade no Vale do Silício. Empresas como a Apple, Facebook, Google e YouTube já aumentaram o período de 14 para 18 semanas. Já a licença paternidade varia em cada companhia.

Fonte: Mashable

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.