Microsoft garante vida ao Windows 10 Mobile e foco no mercado corporativo

Por Redação | 27.05.2016 às 10:15

Depois da Microsoft ter dado todos os indícios de que estaria abandonando o mercado de smartphones, especialmente pela demissão de 1.850 funcionários ligados a divisão de hardware para celulares da empresa, em um novo e-mail enviado aos seus parceiros, a companhia afirmou que está realizando uma profunda reestruturação no setor mobile e que o Windows 10 Mobile continua a fazer parte de seus planos da empresa.

De acordo com o e-mail, depois de se desfazer de grande parte do que havia adquirido da Nokia Mobile, a Microsoft pretende colocar em prática sua nova estratégia no mercado mobile. A ideia é concentrar-se apenas em dispositivos premium e trabalhar em conjunto com as OEM para aumentar a adesão do Windows 10 Mobile. Na visão da empresa, sua força no mercado de smartphones está nas três principais características do sistema operacional: segurança, gerenciamento e o Continuum.

Além disso, a norte-americana disse estar alterando a geografia de seu mercado, com a intenção de investir em novos países e deixar outros de fora, como é o caso da Índia e do Brasil, visto que, nesses dois países, a empresa já não tem mais quaisquer parceiros que possam vender dispositivos com o Windows 10 Mobile. Além disso, é notório que nos últimos meses a empresa desconsiderou ambas as nações para o lançamento do Lumia 950 e 950 XL, que, até agora, nunca apareceram por aqui. No memorando, a corporação reforça, portanto, que deve se concentrar em "mercados centrais", que incluem países como Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Irlanda, Itália, Países Baixos, Noruega, Portugal, Espanha, Suécia, Suíça, Polônia e Austrália.

Como a estratégia de apostar em dispositivos intermediários e de baixo custo não funcionou, a Microsoft deve adotar o mesmo método utilizado para com o tablet Surface, que conta com especificações premium e é vendido apenas em mercados escolhidos a dedo pela empresa. Os consumidores deixarão de ser o foco da companhia, que passará a apostar mais fortemente no segmento corporativo. A estratégia deixa claro que, daqui em diante, a casa do Windows se concentrará em hardware mobile restrito a alguns mercados, enquanto as OEMs farão a tarefa de levar o Windows 10 Mobile para outros mercados e novos públicos.

Essa racionalização do negócio de smartphones, de acordo com o e-mail, "resultará em alterações globais de vendas e na rede de distribuição do Lumia", o que pode significar mais demissões em mercados específicos. Mesmo assim, isso não significa que a gigante dos softwares está preparando terreno para o fim do Windows 10 Mobile. Apesar de formalmente já não existir mais uma divisão "Mobile" dentro da empresa, sendo a versão móvel do Windows 10 desenvolvida pela mesma equipe da versão desktop, a Microsoft parece resistir a abandonar um mercado que ela própria considera o futuro da empresa.

Agora, ao que tudo indica, a ideia é retornar às raízes. Com o Windows Mobile 6.x e o Windows Phone 7, as aspirações do setor mobile da empresa estavam completamente envoltas ao mercado corporativo e, se essa for realmente a nova estratégia da empresa, as expectativas para o futuro são completamente diferentes.

Fonte: Windows Central