Microsoft anuncia investimento em cabos submarinos para conectar datacenters

Por Redação | 12 de Maio de 2015 às 09h39
photo_camera Divulgação

A Microsoft anunciou nesta segunda-feira (11) que fechou uma parceria com um consórcio de empresas de telecomunicações para construir um novo cabo submarino que vai ligar China, Coréia do Sul, Taiwan e Japão com a Costa Oeste dos Estados Unidos.

A ideia da nova rede que atravessará o Pacífico é fornecer conexões de dados mais rápidas para os clientes, ajudar a Microsoft a competir em custos de nuvem, além de criar empregos e estimular as economias locais. "O objetivo de nossas expansões e investimentos em cabos submarinos é que nossos clientes tenham o maior acesso à escala e dados de alta disponibilidade, em qualquer lugar", explica a empresa de Redmond.

Além disso, a Microsoft também anunciou um acordo com a Hibernia para oferecer conectividade mais rápida entre o Canadá, Irlanda e Reino Unido; e com a AcquaComms para usar seu novo cabo entre Shirley, Nova York e a costa oeste da Irlanda.

O cabo Hibernia Express será o primeiro cabo transatlântico dos últimos doze anos e será lançado em setembro. Ele será otimizado para operações de baixa latência (a promessa é de menos de 60 milissegundos entre Nova York e Londres) e será capaz de lidar com até 10 Tbps por dupla de cabos quando estiver funcionando completamente. A Microsoft será o primeiro cliente do AEConnect – nome do sistema de cabo de fibra óptica submarino transatlântico – que vai custar cerca de US$ 300 milhões.

"Como as pessoas e organizações esperam que os dados e informações estejam sempre na ponta dos dedos, a Microsoft deve ter uma infraestrutura capaz de entregar os serviços em nuvem, incluindo o Azure, que nossos clientes precisam para apoiar os seus negócios globais", explicou a empresa durante o anúncio.

A Microsoft não está sozinha nesse esforço para expandir sua infraestrutura de rede ao redor do planeta. Seus concorrentes também já fizeram investimentos semelhantes em cabos submarinos. O Google, por exemplo, já investiu US$ 300 milhões em um novo sistema de cabos que conecta o Japão e os Estados Unidos. "O sistema tem a maior capacidade já construída na rota transpacífico, uma das maiores do mundo", afirmou Woohyong Choi, diretor do projeto do Google. "O acordo vai beneficiar todos os usuários de internet global", acrescenta.

Com informações do TechCrunch

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.