Microsoft anuncia compra do LinkedIn por US$ 26,2 bilhões

Por Redação | 13.06.2016 às 10:21 - atualizado em 13.06.2016 às 12:14

De surpresa, a Microsoft anunciou nesta segunda-feira (13) mais uma aquisição bilionária: a empresa está adquirindo o LinkedIn, rede social para contatos profissionais e busca de empregos, por US$ 26,2 bilhões.

A fabricante do Windows disse ter oferecido US$ 196 por ação, em dinheiro. As negociações já foram autorizadas pelo corpo administrativo duas entidades, e a expectativa é que o processo seja encerrado ainda neste ano. A gigante de Redmond afirmou que o LinkedIn continuará operando de forma independente e que seu CEO, Jeff Weiner, passará a responder diretamente ao presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella.

"A equipe do LinkedIn cresceu de forma fantástica em um negócio centrado em conectar profissionais do mundo todo. Juntos, podemos acelerar o crescimento do LinkedIn, bem como o Microsoft Office 365 e o Dynamics, conforme procuramos capacitar cada pessoa e organização do planeta", destacou Nadella em um post no blog oficial da Microsoft.

Esta é a primeira grande aquisição feita por Nadella desde que assumiu o comando da Microsoft há cerca de dois anos. Para o executivo, a fusão das duas companhias deve intensificar ainda mais a participação da Microsoft no mercado corporativo. Hoje, o LinkedIn tem 105 milhões de visitas por mês e mais de 433 milhões de usuários ao redor do globo, que acessam o serviço para encontrar novas oportunidades no mercado de trabalho e se conectar com colegas de profissão. Além disso, as empresas fazem uso da plataforma para buscar novos funcionários.

"Assim como mudamos a forma como o mundo se conecta às oportunidades, este relacionamento com a Microsoft, combinado ao que eles podem fazer e à rede do LinkedIn, agora nos dá a chance de mudar a maneira como o mundo funciona. Nos últimos 13 anos, nos posicionamos de forma única para conectar profissionais e permitir que eles sejam mais produtivos e bem-sucedidos, e eu estou à frente da nossa equipe para escrever o próximo capítulo da nossa história", afirmou Weiner.

Microsoft/LinkedIn

Na foto, da esquerda para a direita: Jeff Winer, CEO do LinkedIn; Satya Nadella, CEO da Microsoft; e Reid Hoffman, maior acionista do LinkedIn. (Foto: Divulgação/Microsoft)

Embora não especifique os motivos da aquisição, a Microsoft certamente deve usar o LinkedIn para impulsionar sua participação nas redes sociais, principalmente no aspecto corporativo. Não é novidade que o mercado empresarial tem sido o foco principal da companhia desde que Satya Nadella foi nomeado CEO - algo muito bem-vindo para a entidade, uma vez que as vendas do Windows e de outros serviços voltados para empresas aumentaram de forma significativa nos últimos meses.

Do outro lado, o LinkedIn pode se beneficiar através dos recursos oferecidos pela Microsoft e criar novas soluções de software que, entre outras razões, pode potencializar as principais características da rede social. Inclusive, isso deve ajudar a plataforma a sair da estagnação e aumentar sua base de usuários. Em uma carta interna enviada aos funcionários, Nadella declarou que "grande parte desse negócio é acelerar o crescimento do LinkedIn".

"Estamos (a Microsoft e o LinkedIn) em busca de uma missão em comum que é centrada em capacitar as pessoas e organizações. (...) Jeff e eu acreditamos ter uma oportunidade significativa para acelerar o crescimento do LinkedIn e o valor que ele traz para os seus membros, de acordo com os ativos e a escala [de massas] da Microsoft. (...) Nós nos preocupamos profundamente com o crescimento individual e coletivo, e em encontrar um significado no trabalho que fazemos para fazer a diferença no nosso mundo. Juntos, vamos fazer exatamente isso", concluiu.

Fontes: Microsoft, BGR