Mark Zuckerberg sobre bloqueio do WhatsApp no Brasil: "Estou chocado"

Por Redação | 17 de Dezembro de 2015 às 08h00
photo_camera Divulgação

Não deu outra: o assunto mais comentado no momento em todo o Brasil é o bloqueio do WhatsApp no país mediante uma ordem judicial. E agora que o aplicativo ficará suspenso pelas próximas 48 horas, executivos ligados à ferramenta começam a dar seu parecer sobre a decisão. Um deles é Mark Zuckerberg, que usou sua página no Facebook para se mostrar "chocado" com o ocorrido.

"Hoje à noite, um juiz brasileiro bloqueou o WhatsApp para mais de 100 milhões de usuários do aplicativo no país. Este é um dia triste para o país. Até hoje o Brasil tem sido um importante aliado na criação de uma internet aberta. Os brasileiros estão sempre entre os mais apaixonados em compartilhar suas vozes online", disse.

"Estou chocado que nossos esforços em proteger dados pessoais poderiam resultar na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp pela decisão extrema de um único juiz. Esperamos que a justiça brasileira reverta rapidamente essa decisão", destacou o CEO da rede social, que adquiriu o mensageiro em fevereiro do ano passado pelo o equivalente a US$ 16 bilhões.

Zuckerberg ainda destacou que ele e sua empresa estão "trabalhando duro para reverter essa situação", e aconselha os usuários a migrarem para o Messenger enquanto o WhatsApp não é liberado novamente por aqui. Além disso, o executivo convida os brasileiros a cobrar mais explicações do governo, que por sua vez, deve "refletir a vontade do povo".

Tonight, a Brazilian judge blocked WhatsApp for more than 100 million people who rely on it in her country.We are...

Posted by Mark Zuckerberg on Quinta, 17 de dezembro de 2015

Poucas horas após sair a decisão de bloqueio do app no Brasil, o CEO do WhatsApp, Jan Koum, publicou em seu perfil no Facebook estar "desapontado com a decisão míope de cortar acesso ao WhatsApp, uma ferramenta de comunicação da qual dependem muitos brasileiros". Ele também disse que é triste ver o Brasil se isolar do resto do mundo.

De acordo com uma pesquisa recente divulgada pelo Ibope na última terça-feira (15), o mensageiro é o aplicativo mais popular no país, sendo usado por 93% de todas as pessoas que utilizam internet no Brasil. Ainda não estão claros os motivos exatos que levaram ao bloqueio da ferramenta em território nacional, mas sabe-se que a decisão foi proferida porque a companhia não atendeu a uma determinação judicial de 25 de julho de 2015, levando, assim, ao bloqueio do app pelos próximos dois dias.

Também especula-se de que o bloqueio tem ligação com uma possível investigação de facções criminosas relacionadas ao tráfico de drogas.

Leia também:

Fonte: Mark Zuckerberg (Facebook)