Mark Zuckerberg nega planos para concorrer à presidência dos EUA

Por Redação | 27.01.2017 às 15:32
photo_camera Facebook

Depois da vitória de Donald Trump, o nome de outro empresário surgiu como possível interessado em se candidatar à presidência dos Estados Unidos: Mark Zuckerberg.

O CEO do Facebook tem sido objeto de muita especulação da mídia depois de ter estipulado como objetivo pessoal para 2017 a realização de uma turnê para conhecer pessoas em cada um dos 50 estados do país norte-americano.

No entanto, logo que os rumores começaram a ganhar corpo, o executivo foi à público dizer que não está se preparando para concorrer ao cargo mais alto dos Estados Unidos. Apesar da negativa, Zuckerberg não descartou explicitamente a possibilidade de algum dia se candidatar à cadeira atualmente ocupada por Trump.

"Eu estou focado em construir nossa comunidade no Facebook e trabalhar na iniciativa Chan Zuckerberg", disse o CEO da rede social se referindo á iniciativa que mantém em parceria com sua esposa e é focada em ciências, educação e igualdade.

De acordo com uma fonte próxima ao CEO do Facebook, Zuckerberg definitivamente não está planejando concorrer diretamente às eleições presidenciais, mas sim usar a Chan Zuckerberg para influenciar a política governamental, com a organização atuando como um grupo que faz pressão em nome de questões que o executivo defende.

A história de percorrer os Estados Unidos conhecendo pessoas em todos os estados pode soar como uma atitude política, mas a verdade é que todos os anos Zuckerberg divulga suas metas pessoais de ano-novo. Em 2015, ele prometeu ler 26 livros ao longo do ano, enquanto em 2016 se desafiou a criar seu próprio sistema doméstico de inteligência artificial, a Jarvis – e ele realizou ambas.

Entre as resoluções dos anos anteriores estão aprender Mandarin (executada com louvor), usar gravata todos os dias, e escrever uma mensagem de agradecimento por dia a alguém que tenha feito o mundo melhor.

Fonte: BuzzFeed News