Mark Zuckerberg diz que a telepatia poderá superar a realidade virtual

Por Redação | 12.07.2016 às 09:09

Você já parou para pensar sobre todas as mudanças pelas quais passamos em nossos meios de comunicação? Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, tem uma visão curiosa para o futuro, capaz de mudar radicalmente a forma com que as pessoas se comunicam e interagem pela rede social.

Durante uma transmissão ao vivo pelo Facebook Live, o executivo discutiu a evolução da internet, que no momento permite experiências interativas mais ricas e poderosas que há alguns anos. Agora, por exemplo, é possível gravar vídeos em tempo real de qualquer lugar, mas, como Zuckerberg explica, há muito mais por vir.

Anteriormente, era possível utilizar a internet para interagir unicamente por meio de textos, depois vieram as fotos, os vídeos. A expectativa é de que o próximo passo seja dado em breve, com um amplo domínio da realidade virtual e da realidade aumentada na rede social. "A tecnologia sempre pode ficar melhor. Podemos sempre fazer um trabalho melhor para dar voz a todos, permitindo-lhes compartilhar exatamente o que eles estão pensando", explica Zuckerberg.

Para o CEO, a realidade virtual começa a transformar o significado de presença, já que trata de "sentir como se estivesse realmente com alguém". E a ideia é que a tecnologia melhore e avance ainda mais. Segundo Zuckerberg, as possibilidades são infinitas, e o Facebook Live é prova disso: "anteriormente, era possível interagir com poucas pessoas ao mesmo tempo, mas agora o público é exponencialmente maior - com mais de 100.000 pessoas assistindo ao vídeo em tempo real", diz ele.

Mas, para além dos vídeos, a realidade virtual pode levar a experiência imersiva ainda mais longe: "Em poucos anos, talvez todos nós vamos ser capazes de estar fisicamente no mesmo espaço. Talvez tenhamos anfiteatros em VR", explica. Para o criador da rede social, o vídeo é um começo interessante, mas é necessário sempre pensar em novas ideias. Dessa forma, ele não entende a realidade virtual ou aumentada como o fim: "Há sempre algo que vai além disso", revela.

Embora algumas das ideias pareçam temas para livros de ficção científica, o executivo considera a telepatia como uma das possibilidades: "Você vai ser capaz de capturar um pensamento em sua forma ideal e perfeita em sua cabeça [...] Você vai ser capaz de compartilhar isso com o mundo".

Apesar da revelação, Zuckerberg afirma que provavelmente serão necessárias algumas décadas para que esse tipo de tecnologia seja desenvolvida, mas que as pesquisas extremamente avançadas sobre o cérebro humano sugerem que tudo isso será possível em algum momento.

Fonte: World Economic Forum