Mais de 1 milhão de Galaxy Note7 ainda não foram trocados

Por Redação | 21.10.2016 às 09:19
photo_camera Divulgação

Todo mundo sabe que a Samsung errou feio com o Galaxy Note7 e que o aparelho é um dos maiores fiascos da história do mundo da tecnologia. Porém, não podemos negar que a fabricante vem se esforçando para reaver o modelo defeituoso de todas as maneiras possíveis. Apesar disso, operadoras de todo o mundo estimam que ainda há pouco mais de 1 milhão de pessoas portando o smartphone, que pode explodir a qualquer momento.

Consultando alguns consumidores sul-coreanos que ainda andam pelas ruas do país com o phablet explosivo, o jornal Korea JoongAng Daily constatou que a maioria não pretende trocar o aparelho de jeito nenhum. A desculpa é que o processo de troca é muito demorado e que exige perder tempo demais em filas nas operadoras e nos correios para despachar o aparelho de volta para a Samsung. Outros acreditam que seus aparelhos não irão explodir e/ou não colocam em risco sua segurança.

O caso é bastante curioso, principalmente diante dos inúmeros relatos que surgiram na imprensa desde que o Note7 foi lançado. Do fim de agosto para cá, muita gente já foi parar no hospital por ter se queimado ao utilizar o dispositivo, enquanto outros viram seus carros pegando fogo devido à explosão do gadget. Até mesmo companhias aéreas de dez países baniram a utilização do aparelho durante as viagens. Nos Estados Unidos, inclusive, embarcar em aviões portando um Galaxy Note7 agora é crime federal e pode render até dez anos de prisão.

Os alertas flagrantes, entretanto, parecem não ser suficientes e o professor Choi Soon-hwa, da Women University de Dongduk, diz que, na verdade, as pessoas estão mais preocupadas em andar por aí com um aparelho "da moda" do que cuidarem de sua própria segurança e saúde. Vai entender.

Via Korea JoongAng Daily