Magic Leap é acusada de possuir ambiente de trabalho hostil para as mulheres

Por Redação | 14 de Fevereiro de 2017 às 15h28
photo_camera Foto: Reprodução

A empresa Magic Leap está sendo judicialmente acusada de promover um ambiente de trabalho misógino e disfuncional. A ação está correndo em um tribunal da Flórida, Estados Unidos.

O processo foi aberto por Tannem Campbell, ex-vice-presidente de marketing e estratégia de marca da companhia. A executiva alega que ela foi contratada para ajudar a atrair mulheres para a Magic Leap.

Nos seu primeiros meses de trabalho no cargo, Campbell foi convidada a fazer uma apresentação sobre a falta de diversidade de gênero na empresa. No entanto, ela diz nunca ter conseguido terminar de apresentar seu conteúdo para Rony Abovitz, fundador e CEO da empresa.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Além de apresentar a imagem de uma empresa onde os esforços de Campbell para criar um local de trabalho e um produto amigo das mulheres foram recebidos com frieza, o processo judicial também alega comentários e atitudes sexistas. Um exemplo é a inclusão do seguinte conselho na hora de contratar novos funcionários: "na TI temos um ditado: ficar longe dos Três "Os": Orientais, idosos (Old, em inglês) e ovários ".

"[Essas questões no local de trabalho] tornam tão disfuncional que continua a atrasar o lançamento de um produto que atraiu bilhões de dólares de investimento", diz o processo, destacando o enorme apoio financeiro Magic Leap recebeu desde que foi fundada em 2010.

A empresa, que promete integrar gráficos de computador no mundo real de uma forma impressionante, já atraiu quase US $ 1,4 bilhão em financiamento para o projeto da sua tecnologia secreta de realidade mista que deve ser lançada comercialmente.

Via The Guardian

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.