Linha Intel Skylake promete performance 40% melhor e maior autonomia de bateria

Por Redação | 27.07.2015 às 09:22
photo_camera Divulgação

Uma melhoria de até 30% na autonomia da bateria em notebooks e uma performance mais de 40% maior em aplicativos e jogos. São essas as grandes promessas dos novos processadores Skylake, da Intel, de acordo com uma série de especificações vazadas a partir de slides internos, que serviriam para apresentar a nova arquitetura para parceiros comerciais e representantes do varejo.

De acordo com as imagens, a ideia da Intel com a nova arquitetura foi deixar de lado o pensamento que vinha sendo tocado até agora. Em vez de trabalhar a partir de estruturas já existentes e entregar melhorias incrementais, o objetivo foi voltar à prancheta para obter avanços significativos, que permitam aos usuários aproveitarem mais de seus dispositivos e também adequar os processadores da marca ao mundo mobile.

Esse esforço veio na forma dos números que já comentamos acima. Se um notebook com um processador Broadwell, por exemplo, era capaz de chegar a uma autonomia de até 8,5 horas, a nova arquitetura vai permitir que esse potencial seja ampliado para até 11,3 horas. O mesmo vale para o poder de processamento, que nos testes internos chegaram a um aumento de 41% com o mesmo hardware e menos consumo de energia, outra boa notícia para os fanáticos por eficiência.

Com uma arquitetura integrada, a Intel também diz ter obtido resultados semelhantes quando a linha foi utilizada em tablets. A empresa afirma ter conseguido trabalhar em arquiteturas conversíveis, sem que as necessidades do mundo mobile interferissem nas necessidades de alta performance necessária em muitos PCs. Para jogos, por exemplo, a melhora foi de 50% no processamento.

Além disso, foi dado foco especial a sistemas com telas sensíveis ao toque, por exemplo, ou focados em vídeos em alta definição. Para o segundo caso, por exemplo, uma família de aceleradores gráficos e codecs devem aparecer integrados ao processador, dando suporte não apenas a reprodução e edição de vídeo como também gravação, com suporte dedicado, inclusive, a câmeras tridimensionais.

Tudo, claro, depende da linha de processadores escolhida pelas fabricantes e colocada no interior dos computadores. A Apple, por exemplo, deve ser uma das primeiras a contar com componentes Skylake em sua linha de MacBooks, entregando em primeira mão para seus clientes as novidades da nova família de CPUs.

Além disso, vale a pena lembrar que um processador sozinho não faz milagre e para que os resultados prometidos pela Intel realmente existam é necessária toda uma otimização. Ainda assim, as informações parecem bastante promissoras. A expectativa é que a linha Skylake comece a ser produzida pela Intel nos próximos meses, chegando ao mercado no fim do ano, tanto embarcada em equipamentos quanto de forma independente.

Fontes: BGR, Fanless Tech