Lideranças do Twitter estão batendo cabeça em meio a possível venda da empresa

Por Redação | 05.10.2016 às 13:58
photo_camera Divulgação

O Twitter está preso em uma batalha interna entre suas lideranças, que ainda têm posições discordantes sobre a possível venda ou não da rede social, revelou uma reportagem da Bloomberg divulgada nesta quarta-feira (5).

Há meses que a plataforma de microblogging está sendo cortejada por possíveis compradores, incluindo gigantes como Google, Salesforce e Disney, mas internamente, o debate parece ainda não ter sido resolvido.

No centro da discussão estaria o próprio fundador e CEO Jack Dorsey, que deseja que o Twitter continue atuando como uma companhia independente. Enquanto isso, do outro lado do ringue, o membro do conselho da rede social e co-fundador, Ev Williams, insiste em explorar a possibilidade da venda.

Para complicar a situação, a publicação afirma que Dorsey tem perdido forças dentro de sua própria empresa desde que retomou o comando da rede social há um ano, com a saída do ex-CEO Dick Costolo. Fontes internas afirmam que o atual CEO tem desempenhado uma liderança "passiva" e "contemplativa" nos últimos meses, levantando até questionamentos filosóficos sobre decisões de negócio da empresa.

À Bloomberg, a porta-voz da rede social, Kristin Binns, não fez comentários sobre o possível processo de venda, mas defendeu a atuação de Dorsey. Para Binns, o Twitter nunca entregou novos produtos tão rapidamente quando no último ano e tem aumentado consideravelmente o engajamento de usuários timeline sob a liderança do CEO.

Ainda assim, o estilo Dorsey já motivou atual CFO do Twitter, Anthony Noto, a assumir o de facto controle da companhia, tomando até as rédeas em alguns acordos fechados de forma independente - como as recentes transmissões de jogos da NFL, que têm atraído cerca de 2,3 milhões de expectadores e apontam para uma nova possível fonte de renda.

A oposição do estilo "pensador" de Dorsey e "realizador" de Noto tem também atingido funcionários dentro da empresa, que já passam a ver a iniciativa do CFO no mundo de streaming ao vivo com bons olhos e uma possível saída para trazer um novo fluxo de receitas para a companhia.

O que ainda não é claro, no entanto, é qual a posição de Noto na briga entre Dorsey e Ev Williams, já que o CFO não se posicionou oficialmente no debate da venda do Twitter. Ainda assim, investidores parecem animados com a atuação do executivo mais próximo às tomadas de decisão dentro da empresa, já que a aposta que é se uma venda do Twitter for confirmada, o Noto seria a pessoa certa para garantir um bom negócio.

Fonte: Bloomberg