Lenovo vê crescimento de 25% nas vendas de smartphones

Por Redação | 03 de Fevereiro de 2016 às 13h48

Mesmo com perdas e um pequeno panorama negativo, o quarto trimestre de 2015 foi motivo de comemorações para a Lenovo, que pela primeira vez, viu resultados positivos sendo obtidos por sua divisão de dispositivos móveis. Entre os meses de outubro e dezembro do ano passado, houve aumento de 25% nas vendas de smartphones da recém-comprada Motorola.

Como já era esperado por seus acionistas e também por especialistas de mercado, o resultado já faz com que a empresa vislumbre seu ponto de equilíbrio nesse segmento para o primeiro trimestre deste ano. Nos últimos três meses de 2015, a divisão registrou perdas de US$ 30 milhões, um total bem abaixo das expectativas e que mostra que a estratégia de enxugamento de custos e foco nos aparelhos que mais importam vem dando bastante certo.

A Lenovo também chamou a atenção para o movimento de crescimento, neste final de ano, nas vendas de produtos em mercados emergentes, principalmente na Índia e Indonésia. De acordo com a companhia, a grande concorrência dentro de sua casa, a China, levou a empresa a focar em outros territórios onde esse combate ainda é mais brando, uma estratégia que deu certo. Hoje, 83% das vendas de smartphones da empresa são registradas fora de seu país natal.

Os números também se mostraram favoráveis no mercado de PCs. Mesmo com a queda de quase 11% no segmento, a Lenovo aumentou seu market share para 21,6%. Aqui, ao contrário do que acontece no setor de smartphones, é a China a grande estrela, com a companhia dominando 40% do mercado no país e com grande presença, principalmente, nas corporações, onde a retração ainda não é sentida com tanta força.

No seu panorama geral, a Lenovo registrou US$ 300 milhões em lucros entre outubro e dezembro de 2015. Apesar disso, as vendas totais de seus produtos tiveram queda de 8%, gerando um faturamento total de US$ 3,2 bilhões, 4% abaixo do apresentado no final de 2014. Desse montante, quase US$ 2 bilhões, somente, foram obtidos pela Motorola.

É uma dependência da qual a Lenovo quer se ver livre bem em breve, mudando a cara de sua marca para Lenovo Moto e investindo também em suas próprias linhas de aparelhos. Além disso, a marca chinesa está de olho em seu negócio de servidores como uma forma de intensificar o foco no segmento corporativo, com uma expectativa de que as novas máquinas a serem lançadas neste ano gerem, sozinhas, US$ 5 bilhões em vendas.

Fonte: Lenovo

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!